‘Vacina’ é a palavra do ano no dicionário Merriam-Webster

"Pandemia" foi escolhida a palavra do ano em 2020, segundo editora

Seringa com dose de vacina da Pfizer contra Covid-19 em Nova York
Seringa com dose de vacina da Pfizer contra Covid-19 em Nova York 23/02/2021REUTERS/Brendan McDermid

Noah Sheidlower e Christina Zdanowiczda CNN

Ouvir notícia

O dicionário Merriam-Webster acaba de anunciar sua ‘Palavra do Ano’. Para alguns, é um símbolo de esperança e saúde. Para outros, é a representação de uma questão politizada. Como todos podem concordar, a palavra está em toda parte e é controversa.

“Vacina” é a palavra do ano do Merriam-Webster. A palavra foi selecionada com base em dados de pesquisa, picos notáveis ​​e aumentos anuais nas buscas.

“Esta é uma palavra que tem duas histórias paralelas, mas que se cruzam: uma é uma história médica e a outra é uma história política ou cultural”, disse Peter Sokolowski, editor geral do Merriam-Webster.

A escolha se dá após “pandemia” ter sido escolhida em 2020, palavra que serviu de base para as principais pesquisas do site e reformulou a linguagem do dia a dia, segundo a empresa. O Oxford English Dictionary selecionou “vax” como a palavra do ano.

A “vacina” foi escolhida, de acordo com Merriam-Webster, por ser uma solução médica promissora que se tornou uma importante fonte de divisão política. Novas pesquisas em vacinas levaram a empresa a revisar e expandir sua entrada para “vacina” em maio.

Uma adição para “resposta imune”, na qual as células se comportam como se uma doença estivesse presente para treinar o corpo para combatê-la, foi adicionada separada de “imunidade”.

“A ‘vacina de RNA mensageiro’ era nova para mim, nunca tinha ouvido falar dela e, a menos que você fosse um cientista pesquisador, provavelmente também não”, disse Sokolowski à CNN. “Antes, o dicionário nem mesmo incluía uma definição.”

No site, as pesquisas por “vacina” aumentaram 601% em 2020, especialmente no final do ano, quando a primeira dose foi aplicada nos Estados Unidos, em dezembro.

Houve um aumento de 1.048% nas pesquisas de site este ano em comparação com 2019. Em agosto, as pesquisas de “vacina” aumentaram 535% devido à ampla distribuição em partes do mundo e às principais histórias sobre políticas, taxas de aprovação e vacinação. Em agosto, a vacina Pfizer recebeu aprovação total do FDA.

Foi também a época em que Nova York e a Califórnia instituíram mandatos de vacinas para profissionais de saúde, bem como anúncios nacionais sobre imunização de reforço para o público em geral, o que levou a debates sobre desigualdades na distribuição de imunizantes.

E as pesquisas permaneceram estáveis ​​até o final do outono, especialmente com discussões sobre a variante Ômicron e a eficácia das vacinas em evitá-la.

Sokolowski acredita que as pessoas continuarão a pesquisar a palavra nos próximos anos, à medida que o termo “vacina” se tornar uma característica mais normal da vida diária.

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)

Mais Recentes da CNN