Vacinação é um sucesso, mas temos que avançar, diz vice-presidente da SBIm

À CNN, Isabella Ballalai afirmou que brasileiro “confia na vacina, entende que ela funciona e isso gerou alta cobertura” um ano depois do início da campanha

Profissional de saúde prepara dose de vacina contra Covid-19
Profissional de saúde prepara dose de vacina contra Covid-19 Myke Sena/MS

Amanda GarciaBruna Salesda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Um ano depois do início da vacinação contra a Covid-19, a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Isabella Ballalai, considera que a campanha “é um sucesso.”

Em entrevista à CNN, ela avalia que, a partir do momento em que o Ministério da Saúde conseguiu oferecer um quantitativo suficiente de doses, a imunização engrenou.

“Isso mostra que a população é pró-vacina, confia nela, entende que ela funciona e isso gerou a cobertura vacinal alta que temos. Somos referência no mundo”, defendeu.

Ela destacou que apesar da campanha ser um sucesso, “temos que avançar”, em especial na terceira dose, já que o avanço da variante Ômicron causa um aumento de casos. “No entanto, mortes e hospitalizações são raras e, quando acontecer, são, na maioria das vezes, em não-vacinados.”

Mesmo com a escalada de infecções, Ballalai vê motivos para comemorar: a produção da vacina nacional pela Fiocruz – “somos um país gigantesco, e não podemos ficar à mercê de um mercado internacional para comprar a vacina” – e o início da imunização de crianças de 5 a 11 anos.

Isabella Ballalai recomendou que os pais vacinem seus filhos o mais rapidamente possível, conforma disponibilidade de doses, e que as pessoas busquem a terceira dose.

“Infelizmente, enquanto não vacinar todo o planeta, estamos comemorando aqui, mas há países com coberturas muito baixas, a circulação do vírus faz com que novas variantes surjam, por isso precisa melhorar a cobertura de terceira dose e avançar em outros países.”

Mais Recentes da CNN