20 anos do iPod: Conheça a história do produto que mudou a história da música

A praticidade do tamanho, a capacidade de armazenamento, a bateria durável, a interface inteligente e a qualidade de áudio são fatores que tornaram o iPod um símbolo do consumo digital

Luana Franzãoda CNN*

São Paulo

Ouvir notícia

Se hoje a Apple é a marca mais valiosa do mundo e os smartphones estão nas mãos de bilhões de pessoas, muito disso se deve ao iPod, que completa 20 anos neste sábado (23). O dispositivo, principal antecessor do iPhone, foi sensação nos anos 2000 e ajudou a revolucionar a relação com a música.

Mas nem sempre foi assim; No seu lançamento, o iPod foi um tanto subestimado por analistas. Quando apresentado por Steve Jobs, em 23 de outubro de 2001, alguns críticos não entenderam a função do aparelho – com 5GB de memória (que comportavam cerca de mil músicas) e custando US$ 399, ele foi considerado caro e pouco inovador.

De fato, as vendas do iPod começaram devagar, com 400 mil unidades comercializadas em 2002. O público, entretanto, logo passou a comprar a ideia — a Apple havia encontrado a fórmula da simplicidade que as concorrentes não viram. Os tocadores de MP3 da época, em geral, não eram muito práticos, seja por falta de memória, bateria ou qualidade de áudio, e o iPod propunha uma experiência melhor ao usuário para fazer algo que praticamente todo mundo gosta de fazer: ouvir música.

Em junho de 2002, a segunda geração do iPod se tornou compatível com o sistema operacional Windows, o que facilitou a proliferação do aparelho. A publicidade também ficou mais forte, trazendo figuras importantes da música para reforçar a marca: Mick Jagger, Bono Vox, Madonna, entre outros nomes, estiveram envolvidos nas campanhas do iPod.

O ponto de virada para a Apple e para a forma como o público passaria a ouvir música ocorreu de fato em 2003, quando o iTunes, que funcionava apenas como um agregador de músicas digital, transformou-se na iTunes Music Store, uma loja que vendia faixas digitais a US$ 0,99.

Em fevereiro de 2009, Jobs lançou uma carta aberta em que anunciava a mudança dos protocolos de direitos autorais das músicas digitais, o que facilitou a vida dos consumidores e até mesmo ajudou a combater a pirataria na indústria musical. As inovações propostas pelo iTunes e a nova forma de vender música provocou críticas e angariou apoiadores no mercado fonográfico, mas não havia como parar a onda do on demand, que até hoje pauta os fones de ouvidos da maior parte dos usuários.

Em janeiro de 2007, a Apple deu mais um passo na inovação tecnológica: sob aplausos, Steve Jobs anunciou a chegada do iPhone. Unindo “um telefone, um navegador de internet e um iPod widescreen controlado pelo multi-touch”, o novo produto logo tornou-se o emblema dos smartphones. Hoje em sua 13ª geração, o celular acabou sobrepondo as vendas do iPod.

Os iPods Nano, Shuffle e Classic foram descontinuados, e a única versão disponível é o iPod Touch, com última atualização em 2019.

*Sob supervisão de Kaluan Bernardo

Com colaboração de Murillo Ferrari

Mais Recentes da CNN