Nasa avalia missão a Vênus após descoberta recente de possibilidade de vida


Joey Roulette, da Reuters
16 de setembro de 2020 às 19:31 | Atualizado 17 de setembro de 2020 às 10:44

A Nasa avalia aprovar até abril do ano que vem até duas missões científicas planetárias a partir de 4 propostas que estão sendo revisadas, incluindo uma para Vênus que, segundo cientistas, pode ajudar a determinar se há ou não vida no planeta. 

Uma equipe internacional de pesquisas descreveu nessa segunda-feira (14) evidências de possíveis micróbios que residem nas nuvens venusianas, que são altamente ácidas: traços de fosfina, um gás que, na Terra, é produzido por bactérias que habitam ambientes livres de oxigênio.

A descoberta oferece fortes evidências de potencial vida fora da Terra. 

A agência espacial norte-americana selecionou em fevereiro quatro propostas de missões que agora estão sendo revisadas por um painel da Nasa, duas das quais envolvem o envio de sondas robóticas a Vênus. Uma delas, chamada Davinci+, enviaria uma sonda para a atmosfera do planeta. 

Assista e leia também:

Cientistas encontram indícios de vida em Vênus

Descoberta extraordinária, diz cientista sobre possíveis sinais de vida em Vênus

Ilustração do planeta Vênus

Ilustração do planeta Vênus

Foto: ESO/M. Kornmesser & NASA/JPL/Caltech via Reuters (14.set.2020)

"Davinci é a escolha lógica se estivermos motivados em parte por querer saber mais sobre essa descoberta – pois a maneira de saber mais é ir lá e ver o que está acontecendo na atmosfera", disse à Reuters na terça-feira David Grinspoon, um astrobiólogo que trabalha na proposta Davinci.

As outras três propostas incluem: a IVO, uma missão para a lua vulcanicamente ativa de Júpiter Io; A Trident, uma jornada de vôo sobre a lua gelada de Netuno, Triton, para mapeá-la; e a Veritas, a segunda das propostas de missões a Vênus, que seria focada na compreensão da história geológica do planeta.

A Nasa disse que pode escolher uma ou duas das missões. 

A busca por vida em outros planetas do Sistema Solar não estava, até então, focada em Vênus. Em julho, a Nasa lançou um veículo explorador de nova geração para buscar traços de possíveis indícios de seres vivos no passado de Marte.