Nobel de Física 2020 vai para trio de cientistas por pesquisa sobre buraco negro


Jéssica Otoboni, da CNN, em São Paulo
06 de outubro de 2020 às 07:09 | Atualizado 07 de outubro de 2020 às 07:15
Roger Penros, Reihard Genzel e Andrea Ghez ganharam o Nobel de Física 2020

Roger Penros, Reihard Genzel e Andrea Ghez ganharam o Nobel de Física 2020

Foto: Divulgação / Universidade de Oxford; Universidade de Munique Ludwig Maximilians; Universidade da Califórnia (UCLA)

O prêmio Nobel de Física 2020 foi concedido nesta terça-feira (6) ao físico britânico Roger Penrose "pela descoberta de que a formação do buraco negro é uma robusta previsão da teoria geral da relatividade", e ao astrofísico alemão Reihard Genzel e à astrônoma norte-americana Andrea Ghez "pela descoberta de um objeto compacto supermassivo no centro de nossa galáxia".

Assista e leia também:
Entenda o que são os buracos negros
Entenda o que são os prêmios Nobel, como surgiram e o que os premiados ganham
Nobel de Medicina 2020 vai para médicos que descobriram vírus da hepatite C
Nobel de Medicina: veja algumas curiosidades da premiação

Segundo a Fundação Nobel, os laureados deste ano foram escolhidos "pelas descobertas sobre um dos fenômenos mais exóticos do universo, o buraco negro".

O estudo de Penrose mostra que a teoria geral da relatividade de Albert Einstein leva à formação dos buracos negros, enquanto o de Genzel e Ghez indica que "um objeto extremamente pesado e invisível governa as órbitas das estrelas no centro de nossa galáxia". "Um buraco negro supermassivo é a única explicação atual conhecida", anunciou a instituição.

Andrea Ghez é a quarta mulher a ser premiada na categoria. O prêmio concedido ao grupo vencedor é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de 1,1 milhão de dólares).

Curiosidades

Desde 1901 a 2019, 113 prêmios de Nobel de Física foram entregues. A pessoa mais jovem a receber a honra foi o australiano Lawrence Bragg, em 1945, aos 25 anos, "pelos serviços na análise da estrutura cristalina por meio de raios X". O mais velho foi o norte-americano Arthur Ashkin, que ganhou o prêmio em 2018, aos 96 anos, pelas pinças ópticas e a aplicação delas em sistemas biológicos.

O norte-americano John Bardeen foi a única pessoa a ganhar o Nobel de Física duas vezes, em 1956 e 1972, pelas pesquisas sobre semicondutores e a descoberta do efeito transistor.

Trio ganhador do Nobel de Física 2020

Laureados deste ano foram escolhidos 'pelas descobertas sobre um dos fenômenos mais exóticos do universo, o buraco negro'

Foto: Divulgação - 06.out.2020 / Prêmio Nobel