Quem é o homem que codificou a mensagem no robô que pousou em Marte

Conheça a história de Ian Clark, o engenheiro que deixou a mensagem 'Ouse coisas poderosas' aos que acompanharam a descida do veículo na superfície de Marte

Ashley Strickland, da CNN
03 de março de 2021 às 11:04 | Atualizado 03 de março de 2021 às 11:15
Sonda da Nasa
Imagem da Perseverance, sonda da Nasa que irá buscar vestígios de vida em Marte
Foto: Reprodução

 

Para milhares de pessoas que trabalharam no projeto de uma espaçonave que viaja a Marte, o resultado de seus esforços muitas vezes permanece invisível, uma vez que a nave deixa a Terra. Tudo mudou esta semana quando o rover Perseverance da NASA mandou o primeiro vídeo da descida do veículo pela atmosfera marciana que resultou em um pouso seguro.

A filmagem deu ao mundo um vislumbre de um processo muitas vezes invisível, incluindo o lançamento de um paraquedas para desacelerar a espaçonave após entrar na atmosfera.

O paraquedas supersônico de 21,5 pés (6,5 metros) foi um desafio de engenharia extraordinário, disse Ian Clark, engenheiro de sistemas do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, na sigla em inglês) da NASA, em Pasadena, Califórnia. Clark, que está no JPL desde 2009, trabalhou no paraquedas durante anos. Ele conduziu três testes dele na Terra para garantir que o objeto pudesse sobreviver inflando em um vento de medida Mach 2, ou seja, que tivesse condições de sobreviver a ventos com o dobro da velocidade do som, o que equivale a 2.469 km/h.

"Fizemos testes que não eram feitos desde o programa Viking (nos anos 70 e 80), que eram testes em escala de paraquedas supersônicos ", disse Clark.

O teste foi realizado nas instalações de voo Wallops, da NASA, na Virgínia, entre 2017 e 2018. A equipe de teste replicou o ambiente marciano aqui na Terra usando foguetes de sondagem para alcançar a metade do caminho até a borda do espaço com o dobro da velocidade do som e lançando o paraquedas.

Os materiais Nylon, Technora e Kevlar foram usados ??para fazer o maior paraquedas com três vezes mais resistência do que o usado para o pouso do rover Curiosity, em 2012.

A equipe se sentiu confiante nos testes, e o desempenho do paraquedas em Marte foi como uma coroação de todo o trabalho.

Um código secreto

Enquanto trabalhava no design do paraquedas, Clark sabia que seria muito útil criar um padrão. Os padrões nos paraquedas ajudam a passar uma orientação para a equipe da NASA, na Terra. Se houver algum dano, ao inflar, o paraquedas vai mostrar que os padrões, que deveriam ser quadriculados, não estão como deveriam. Mas Clark quis mudar, abandonou os padrões quadriculados e decidiu usar algo diferente, menos uniforme.

Clark e alguns de seus colegas de equipe decidiram se divertir um pouco.

O engenheiro é um entusiasta de quebra-cabeças e faz as palavras cruzadas do New York Times todas as manhãs. Sua mãe também salva os quebra-cabeças da edição de domingo em um envelope pardo que ela lhe dá toda vez que ele a visita.

Ele pensou em codificar palavras usando código binário. Mas qual seria a mensagem? Embora ele nunca tenha olhado para um pôster motivacional e extraído muito significado dele, três palavras se destacaram para Clark: "Ouse coisas poderosas."

O lema, tirado de um discurso de Theodore Roosevelt, está em edifícios por todo o campus do JPL.

“Nas últimas semanas, eu não me canso de ler 'Dare Mighty Things'”, disse Clark. "E não é apenas a frase, mas também o contexto mais amplo do discurso. Essa grande mensagem inspiradora realmente representa a cultura do JPL e da NASA como um todo."

Ele também incluiu as coordenadas do JPL no anel externo do paraquedas.

Quando o equipamento inflou, em Marte, apenas cerca de seis pessoas, incluindo Clark, sabiam da existência da mensagem.

Durante uma coletiva de imprensa na qual o vídeo foi compartilhado com o público, na segunda-feira, o condutor de entrada, descida e pouso do rover, Allen Chen, brincou que pode haver algo para decifrar no paraquedas laranja e branco.

Em poucas horas, quem acompanhava a odisseia do Perseverance começou a postar no Reddit e no Twitter o que decifraram. Clark estava animado em ver outros envolvidos nesse tipo de enigma e resolvendo a questão tão rapidamente. Ele se mostrou satisfeito também por perceber a alegria que causou nas pessoas o vídeo do rover descendo em Marte depois que ele foi compartilhado.

Clark espera que as imagens e vídeos do Perseverance inspirem as pessoas e as ajudem a superar os desafios.

A inspiração se tornou realidade

Missões explorando o sistema solar, como Voyager, Galileo e Cassini, há muito inspiram Clark.

Quando criança, Clark assistia a "Cosmos", de Carl Sagan, o programa de 1980 da PBS, gravado por seu pai. Clark observou Sagan falar sobre os bilhões de estrelas no universo e compartilhar as imagens iniciais enviadas pelas sondas Voyager enquanto elas voavam por Júpiter e Netuno. Isso despertou sua curiosidade e o fez querer se envolver com a engenharia aeroespacial.

Em 18 de fevereiro, dia do pouso do rover, Clark sentou-se na sala de entrada, descida e aterrissagem, no JPL, em Pasadena. Ele observou os dados chegarem nas telas do computador e ouviu, na voz da engenheira aeroespacial Swati Mohan, as orientações para a missão Perseverance.

Mesmo a menor coisa poderia causar danos ao paraquedas "e, no final das contas, transformar aquele dia em um dia ruim", disse Clark.

Um vento que se move na direção errada pode ter um efeito catastrófico, fazendo com que o paraquedas se infle do avesso e seja destruído. Quem trabalha na entrada, descida e aterrissagem costuma dizer que o paraquedas é um dos aspectos de uma missão que mais assusta, por ser um dos menos previsíveis.

Quando Mohan disse que o paraquedas havia disparado, Clark ficou de olho na velocidade da espaçonave enquanto ela descia pela atmosfera. No início, pareceu um pouco rápido demais, dada a distância entre o veículo espacial e o solo.

Mas o paraquedas fez seu trabalho. Depois da desaceleração, o veículo espacial pousou suavemente, de maneira perfeita.

Quando as imagens e o vídeo da descida começaram a chegar, Clark finalmente soube que o paraquedas inflou perfeitamente. E os esforços da equipe valeram a pena.

"Comecei a compreender a importância do que havia acontecido", disse Clark. "Eu disse à pessoa que me enviou as imagens: 'Acho que pela primeira vez, hoje, estou feliz.'"

Explorando Marte

Para cada missão nova, a NASA se baseia em seus sucessos anteriores. Esse vídeo de uma espaçonave pousando em Marte será usado por equipes que planejarão outras missões por décadas, disse Clark.

A importância desse tipo de filmagem não pode ser mensurada.

Alguns dos primeiros testes de paraquedas feitos para uma missão a Marte aconteceram durante o programa Viking, quase 50 anos atrás. As imagens desses primeiros testes, capturadas em filmes de 16 milímetros, foram perdidas, disse Clark. Mas foi possível localizar alguém que havia doado as imagens a um pequeno museu, em Bradenton, Flórida.

Clark voou de Los Angeles para recuperar o filme, restaurá-lo e digitalizá-lo. Agora, a filmagem recuperada é usada para comparar com os testes recentes de paraquedas.

O engenheiro continua a trabalhar na missão Perseverance de diferentes formas. Como engenheiro-assistente de sistemas para limpeza de amostras, ele vai garantir que as amostras que o rover Perseverance coleta em Marte, em sua busca por vida antiga, não sejam contaminadas por nada na Terra.

Essas amostras serão devolvidas à Terra na década de 2030 por missões de acompanhamento, chamadas Retorno das Amostras de Marte. Clark será o líder da missão na fase que recupera essas amostras da superfície de Marte e leva à órbita do planeta vermelho antes de retornar à Terra.

“Há quase seis décadas que queremos fazer esse tipo de missão”, disse Clark. "Quando ousamos coisas poderosas, podemos realmente alcançar sucessos fenomenais."

Texto traduzido. Leia o original em inglês.