Aplicativos de namoro darão vantagens a usuários vacinados no Reino Unido

Tinder, Hinge, Bumble e outros aplicativos de namoro permitirão que mais usuários mostrem se foram vacinados contra a Covid-19 e distribuam benefícios

Rob Picheta, da CNN
06 de junho de 2021 às 23:20 | Atualizado 06 de junho de 2021 às 23:28
Tinder
Tinder e outros aplicativos de namoro permitirão que usuários mostrem se foram vacinados
Foto: Divulgação/Tinder

Tinder, Hinge, Bumble e outros aplicativos de namoro permitirão que mais usuários mostrem se foram vacinados contra a Covid-19 e distribuam benefícios para aqueles que dizem ter recebido a imunização contra a doença.

As plataformas darão aos usuários britânicos a opção de exibir seu status de vacinação, de acordo com um anúncio feito nesta segunda-feira (7) no horário local, após uma parceria com o governo do Reino Unido para encorajar os jovens a se vacinarem contra o novo coronavírus.

As plataformas citaram uma pesquisa da empresa britânica YouGov, que mostrou que quase dois terços dos adultos prefeririam namorar uma pessoa vacinada ou descartariam namorar alguém que não fosse vacinado.

A mudança segue uma campanha semelhante nos Estados Unidos, lançada no mês passado.

No Tinder, os usuários terão permissão para adicionar um adesivo pró-vacinação ao seu perfil e receberão um "Super Like" gratuito para fazer isso. O Hinge dará aos usuários uma "rosa" gratuita para oferecer a possíveis pares, enquanto o Bumble dará aos clientes inadimplentes descontos em recursos premium.

OkCupid, Match, Plenty of Fish e Badoo também estão envolvidos na iniciativa.

O ministro de vacinas do Reino Unido, Nadhim Zahawi, disse estar "emocionado" em revelar a parceria do governo, enquanto Alexandre Lubot, CEO do Match Group, dono da maioria das plataformas participantes, disse: "uma parte importante do retorno ao normal é ajudar as pessoas a se sentirem seguras como eles se conectam pessoalmente."

"Um impulso unificado para mais vacinas permitirá que as pessoas se encontrem pessoalmente e se conectem de maneiras significativas", disse Lubot.

Aumento nas receitas durante a pandemia

Os aplicativos de namoro viram os negócios prosperar desde o início da pandemia, com as pessoas presas em casa procurando os serviços para conhecer novas pessoas.

A receita do Tinder saltou 18% para US$ 1,4 bilhão (aproximadamente R$ 7 bilhões) no ano até março, com o popular aplicativo de namoro impulsionando os negócios gerais do Match Group. Bumble, um aplicativo de namoro rival, viu o preço de suas ações dobrar desde que se tornou público em fevereiro.

Em março, o Tinder distribuiu 1.000 testes de Covid-19 aos usuários como parte de uma promoção, enquanto, no ano passado, o Hinge se uniu à Chipotle e ao Uber Eats para criar um novo menu para encorajar jantares em encontros socialmente distantes.

"Aplicativos e serviços de namoro são o ponto de partida para cerca de um terço de todos os novos relacionamentos", disse George Kidd, presidente-executivo da Online Dating Association do Reino Unido, em um comunicado. 

"Quando o encontro pessoal não era possível, os serviços eram uma forma importante de encontrar outras pessoas online, com a esperança de nos encontrarmos mais tarde, quando for seguro fazê-lo."

Cerca de 10 milhões de pessoas no Reino Unido usaram aplicativos de namoro, de acordo com o grupo. "Para nós, cada passo para retornar ao encontro de pessoas, fazer novos amigos, começar novos relacionamentos é um passo à frente para todos nós", disse Kidd.

(Este texto foi traduzido do inglês. Clique aqui para ler o original)