Nasa aponta que a Terra absorveu quase o dobro do calor em intervalo de 15 anos

Aumentos contínuos nas concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera se chocam com longo tempo necessário para o alcance do equilíbrio térmico do planeta

Lucas Rocha, da CNN, em São Paulo
18 de junho de 2021 às 18:18
Aquecimento global
Foto: Alexandros Maragos (Getty Images)

A absorção de calor pela Terra quase dobrou em cerca de 15 anos, segundo um estudo conduzido pela Nasa, agência espacial norte-americana, e pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos. Os dados comparam a situação do planeta entre os anos de 2005 e 2019.

O clima é determinado pela quantidade de energia solar que a Terra absorve e pela quantidade de energia que libera por meio da emissão de radiação infravermelha térmica. O resultado desse cálculo determina se o planeta aquece ou esfria, segundo o artigo publicado no periódico científico Geophysical Research Letters.

A pesquisa aponta diferentes fatores para o aquecimento da Terra, como os aumentos contínuos nas concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera e o longo tempo necessário para que o oceano e a superfície alcancem o equilíbrio térmico devido a esses aumentos.

De acordo com o artigo, a maior parte desse excesso de energia (cerca de 90%) aquece os oceanos. O restante aquece a terra, provocando o derretimento de neve e gelo e aquecendo a atmosfera.

Comparação dos índices por metodologias diferentes

Os pesquisadores compararam as observações de satélite da radiação que se propaga na forma de onda eletromagnética (energia radiante) absorvida pela Terra com um conjunto global de medições usadas para determinar o aquecimento do oceano, da superfície e da atmosfera, e o derretimento da neve e do gelo.

Segundo o estudo, a concordância obtida a partir da comparação dos índices de duas metodologias diferentes fornece evidências mais robustas de que há um aumento do Desequilíbrio da Energia da Terra (EEI, na sigla em inglês).

O desequilíbrio está relacionado principalmente à diminuição da reflexão de energia do planeta de volta para o espaço, devido a mudanças relacionadas às nuvens, pelo gelo marinho e o aumento da mistura de gases de efeito estufa e vapor de água.

De acordo com o estudo, o desequilíbrio manifesta "sintomas" como o aumento da temperatura global, do aquecimento do oceano e do nível do mar. Por isso, mudanças ainda maiores no clima podem acontecer nas próximas décadas.