Apple está rastreando iPhones roubados de suas lojas nos EUA

A empresa emite avisos nos celulares saqueados; segundo a empresa, software especial é anterior aos protestos contra a morte de George Floyd

Após reabrir 25 lojas nos EUA em 18 de maio, Apple registrou vandalismo e roubos em suas unidades de Nova York, Filadélfia e Washington, DC
Após reabrir 25 lojas nos EUA em 18 de maio, Apple registrou vandalismo e roubos em suas unidades de Nova York, Filadélfia e Washington, DC Foto: Jason Lee/Reuters

Samantha Murphy Kelly,

da CNN Business

Ouvir notícia

A Apple está enviando uma mensagem clara para as pessoas que roubaram iPhones de suas lojas: você está “sendo rastreado”.

A empresa está desativando ativamente os iPhones roubados das telas de suas lojas de varejo, deixando-os inoperantes.

Capturas de tela da mensagem de aviso da Apple começaram a aparecer em sites como o Twitter e o Reddit no início desta semana, em meio a protestos globais após a morte de George Floyd.

As lojas da Apple, que começaram a reabrir recentemente nos Estados Unidos após meses de fechamento devido à pandemia global, relataram vandalismo e roubo em vários locais, incluindo Nova York, Filadélfia e Washington, DC.

“Volte para a Apple Walnut Street”, dizia uma mensagem com a referência de uma loja na Filadélfia, postada no Twitter. “O dispositivo foi desativado e está sendo rastreado. As autoridades locais serão alertadas”.

A Apple (AAPL) se recusou a comentar sobre questões de segurança.

No entanto, o esforço não é específico para os protestos que acontecem atualmente. Há muito tempo a empresa instala softwares especiais nos iPhones de suas lojas para rastrear o paradeiro de itens roubados. É um software que não é ativado em iPhones comprados.

Em um comunicado enviado aos funcionários no domingo, o CEO da Apple, Tim Cook, chamou o assassinato de Floyd de “sem sentido” e prometeu doar a grupos de direitos humanos, incluindo a Equal Justice Initiative.

 

Mais Recentes da CNN