Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Grupo europeu desenvolve tecnologia de rastreamento para conter COVID-19

    Aplicativo deve ser lançado na semana que vem; chanceler alemã Angela Merkel disse que recomendará programa se for ajudar outras pessoas

    Mulher usa máscara protetora em Turim, na Itália
    Mulher usa máscara protetora em Turim, na Itália Foto: Massimo Pinca/Reuters (27.fev.2020)

    Da CNN, em São Paulo

    Especialistas europeus anunciaram nesta quarta-feira (1º) que vão lançar em breve uma tecnologia para smartphones para rastrear pessoas que entraram em contato com pacientes de COVID-19.

    A iniciativa propõe manter um registro de quando um smartphone se aproxima de outro, para que, caso um indivíduo teste positivo para o vírus, outras pessoas em risco de infecção possam ser rapidamente identificadas.

    A capacidade de rastrear com maior precisão as pessoas em risco de infecção poderia facilitar as restrições à circulação em grandes centros, que prejudicaram a atividade econômica em muitos países.

    A iniciativa europeia, chamada Rastreamento Pan-Europeu de Proximidade e Preservação da Privacidade (PEPP-PT), segue o uso de smartphones em alguns países asiáticos para monitorar a propagação do vírus e o cumprimento de ordens de quarentena, embora seus métodos violem regras estritas de proteção de dados da Europa.

    Leia também:

    Europeus tentam usar tecnologia contra coronavírus, mas esbarram em privacidade

    O PEPP-PT reúne 130 pesquisadores de oito países e pretende lançar a plataforma até 7 de abril. disse Hans-Christian Boos, fundador da startup alemã Arago e membro do conselho digital da chanceler Angela Merkel.

    Merkel, que está em isolamento após ser tratada por um médico que testou positivo para o vírus, disse que recomendará o aplicativo desde que seja eficaz e voluntário. “É claro que eu usaria para ajudar outras pessoas”, disse ela a repórteres.

    Epidemiologistas dizem que o rastreamento de contatos entre as pessoas se tornará uma arma vital para conter epidemias futuras.

    “Todos sabemos que, como sociedade e economia, não podemos continuar assim por um longo período de tempo”, disse Marcel Salathe, professor de epidemiologia digital no Instituto Federal Suíço de Tecnologia em Lausanne, em entrevista coletiva. “Existe uma maneira mais eficiente de quebrar essa tendência exponencial de crescimento.”

    No entanto, embora o monitoramento possa ser necessário no momento, esses aplicativos não podem se tornar ferramentas de monitoramento mais amplo.

    “A instalação obrigatória de um aplicativo, sem restrições explícitas na coleta e no uso dos dados, pode ser bastante preocupantes”, disse Jennifer King, diretora no centro de estudos de internet e sociedade na Universidade de Stanford.

    Também existe o risco que essas medidas justificadas pela pandemia atual possam ser mantidas e até expandidas depois que não sejam mais necessárias.

    Leia também:

    Na batalha contra o coronavírus, sua privacidade pode estar em risco

    Com informações da Reuters e da CNN Business