Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Imagem mostra cauda de poeira em asteroide após colisão da missão Dart

    Resultado é um desenvolvimento inesperado, embora um comportamento semelhante seja comumente visto em cometas e asteroides ativos

    Duas caudas de poeira ejetadas do sistema de asteroides Didymos-Dimorphos são visíveis em uma imagem do Telescópio Espacial Hubble, mostrando as consequências do impacto da missão Dart
    Duas caudas de poeira ejetadas do sistema de asteroides Didymos-Dimorphos são visíveis em uma imagem do Telescópio Espacial Hubble, mostrando as consequências do impacto da missão Dart NASA/ESA/STScI/Jian-Yang Li (PSI)

    Jackie Wattlesda CNN

    O Telescópio Espacial Hubble capturou um novo instantâneo do asteroide que a Nasa bateu recentemente com uma espaçonave na tentativa de derrubá-lo. A imagem revela a visão mais clara até agora de alguns resultados inesperados da missão – uma cauda dupla de poeira atrás do sistema de asteróide.

    A imagem, divulgada na quinta-feira (20), é uma das 18 observações que o telescópio Hubble fez do sistema de asteroides Didymos-Dimorphos desde que a missão do Teste de Redirecionamento de Asteroides Duplos da Nasa, ou Dart, colidiu com uma sonda em Dimorphos em setembro.

    “Observações repetidas do Hubble nas últimas semanas permitiram aos cientistas apresentar uma imagem mais completa de como a nuvem de detritos do sistema evoluiu ao longo do tempo”, de acordo com um comunicado da Nasa e da Agência Espacial Europeia, que operam em conjunto o Hubble.

    “As observações mostram que o material ejetado, ou ‘ejecta’, expandiu e diminuiu de brilho com o passar do tempo após o impacto, em grande parte como esperado”, diz o comunicado.

    “A cauda gêmea é um desenvolvimento inesperado, embora um comportamento semelhante seja comumente visto em cometas e asteroides ativos. As observações do Hubble fornecem a imagem de melhor qualidade da cauda dupla até o momento”. Os cientistas estão trabalhando para entender o significado da cauda dividida.

     

    A Nasa observou que é a cauda mais ao norte que foi criada recentemente, e os cientistas usarão dados do Hubble nos próximos meses para examinar mais de perto como ela pode ter se formado. Dimorphos, o alvo da missão Dart da Nasa, é um asteroide menor que orbita em torno do maior Didymos.

    Os astrônomos anteciparam que a missão poderia ser considerada um sucesso se o impacto da espaçonave Dart pudesse encurtar a órbita de Dimorphos em 10 segundos. Mas a NASA revelou este mês que conseguiu reduzir sua trajetória em 32 segundos – de uma órbita de 11 horas e 55 minutos para 11 horas e 23 minutos.

    A missão Dart foi a primeira do mundo realizada em nome da defesa planetária, com o objetivo de testar tecnologia que poderia um dia ser usada para desviar um asteroide em direção à Terra. A missão também foi a primeira vez que a humanidade mudou intencionalmente o movimento de um objeto no espaço.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original