Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Nobel de Química 2020 vai para dupla de cientistas por pesquisa sobre genoma

    O prêmio concedido à dupla vencedora é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de 1,1 milhão de dólares)

    Emmanuelle Charpentier e Jennifer A. Doudna foram as ganhadoras do Nobel de Química 2020
    Emmanuelle Charpentier e Jennifer A. Doudna foram as ganhadoras do Nobel de Química 2020 Foto: Divulgação - Max Planck Society; Royal Society

    Jéssica Otoboni,

    da CNN, em São Paulo

    Ouvir notícia

    O prêmio Nobel de Química 2020 foi concedido nesta quarta-feira (7) às cientistas francesa Emmanuelle Charpentier e norte-americana Jennifer A. Doudna “pelo desenvolvimento do método de edição do genoma”.

    Segundo a Fundação Nobel, a dupla “descobriu uma das ferramentas mais afiadas de tecnologia do gene: as tesouras genéticas CRISPR/Cas9”. Com elas, pesquisadores podem mudar o DNA de animais, plantas e microrganismos com muita precisão.

    “Essa tecnologia, que tem tido um impacto revolucionário nas ciências da vida, está contribuindo para novas terapias de câncer e pode tornar realidade o sonho de curar doenças hereditárias”, informou a instituição.

    Assista e leia também:
    Nobel de Física 2020 vai para trio de cientistas por pesquisa sobre buraco negro
    Nobel de Medicina 2020 vai para médicos que descobriram vírus da hepatite C
    Entenda o que são os prêmios Nobel, como surgiram e o que os premiados ganham

    Para estudar o funcionamento interno da vida, os cientistas precisam modificar genes em células, o que costuma levar muito tempo, além de ser um trabalho difícil. “Usando as tesouras genéticas CRISPR/Cas9, agora é possível mudar o código da vida em poucas semanas”, de acordo com a Fundação Nobel.

    O prêmio concedido à dupla vencedora é de 10 milhões de coroas suecas (cerca de 1,1 milhão de dólares).

    Curiosidades

    De 1901 a 2019, foram entregues 111 prêmios Nobel de Química a 183 indivíduos. A pessoa mais nova a receber a honra nessa categoria foi o francês Frédéric Joliot, que foi premiado em 1935, aos 35 anos, junto à mulher dele, Irène Joliot-Curie, “em reconhecimento à síntese de novos elementos radioativos”.

    Já o mais velho a ser laureado foi John B. Goodenough, que tinha 97 anos quando recebeu o prêmio, em 2019, pelo desenvolvimento das baterias de íon-lítio.

    Com as laureadas de hoje, são sete as mulheres laureadas nessa categoria. Dentre elas, a polonesa Marie Curie, que ganhou o Nobel de Química em 1911 e também o de Física em 1903, pela descoberta dos elementos rádio e polônio e pesquisas sobre radiação, respectivamente.

    Dupla ganhadora do Nobel de Química 2020
    Emmanuelle Charpentier e Jennifer A. Doudna foram premiadas pela descoberta de “uma das ferramentas mais afiadas de tecnologia do gene: as tesouras genéticas CRISPR/Cas9”
    Foto: Divulgação – 07.out.2020 / Prêmio Nobel

    Mais Recentes da CNN