Nove respostas de cientistas sobre o telescópio da Nasa que substituirá o Hubble

A CNN levou as perguntas mais frequentes dos leitores a cientistas para que expliquem o que o telescópio Webb pode fazer pela humanidade

O telescópio Webb foi desenvolvido para investigar o que havia antes do Big Bang, entre outras questões
O telescópio Webb foi desenvolvido para investigar o que havia antes do Big Bang, entre outras questões Divulgação/Nasa

Janelle Davisda CNN

Ouvir notícia

O telescópio mais poderoso já construído está programado para ser lançado ao espaço no dia 18 de dezembro. O Telescópio Espacial James Webb (JWST, na sigla em inglês) examinará a atmosfera de exoplanetas, alguns potencialmente habitáveis, e olhará mais profundamente para o universo do que qualquer telescópio anterior.

A missão foi desenvolvida há décadas e o telescópio foi imaginado pela primeira vez como um sucessor do Hubble em 1989. Sua construção começou em 2004 e, agora, o Webb, que é 100 vezes mais poderoso que o Hubble, está pronto para ser lançado.

A CNN perguntou aos leitores o que eles querem saber sobre o telescópio e sua missão.

Enviamos as perguntas aos especialistas Sara Seager, cientista planetária e astrofísica do Instituto de Tecnologia de Massachusetts; Matt Mountain, cientista do telescópio de Webb; e Stefanie Milam, da Nasa, cientista assistente do projeto JWST para ciências planetárias.

Aqui está o que eles disseram.

Quanto custou a fabricação do telescópio?

Stefanie Milam: Construir e lançar o telescópio Webb custou à Nasa US$ 8,8 bilhões. Quando você inclui os custos de operação, o custo total chega a mais de US$ 9,66 bilhões.

Quanto tempo o telescópio demorou para ser construído?

Milam: No final dos anos 80, o Webb mudou de uma ideia para um conceito de missão real. Em 1996, houve uma recomendação formal para construção de um telescópio infravermelho e, em 2004, a construção foi iniciada e concluída em 2019, com a montagem final das peças.

Quais são as principais tarefas do telescópio?

Matt Mountain: Este é o telescópio mais complexo já construído…  Primeiro, ele precisa funcionar. Em segundo lugar, queremos observar profundamente partes do universo que nunca vimos.

Queremos ser capazes de olhar para trás no tempo para ver como as primeiras estrelas e galáxias surgiram. Queremos ver como as estrelas são formadas em nuvens moleculares.

Em seguida, queremos explorar estrelas próximas que têm planetas para ver se podemos encontrar água em sua superfície. Este é o primeiro sinal de que pode haver vida ali.

Como funciona o telescópio?

Milam: Funciona ao ser apontado para qualquer objeto no espaço. A luz é refletida do espelho primário para o secundário no módulo do instrumento quando as imagens e os espectros (ondas de luz) são coletados. Em seguida, enviamos esses dados para a Terra.

Webb-Hubble
O Hubble (à direita) sai de cena para dar lugar ao seu sucessor mais potente, o Webb / Divulgação/Nasa

A qual profundidade este telescópio poderá ir?

Mountain: com o telescópio Hubble, podíamos ver 13,5 bilhões de anos atrás e ver outras galáxias, mas isso não foi suficiente. Precisamos ultrapassar o Hubble para ver de onde vêm essas primeiras galáxias e estrelas, e como foram criadas.

Com o telescópio Webb, podemos retroceder até 100 milhões de anos após o big bang, capturando a luz que viajou por 13,6 bilhões de anos.

A Nasa disse o seguinte: “O Hubble pode ver algo semelhante a ‘galáxias pequenas’, enquanto o Telescópio Webb é capaz de ver ‘galáxias bebês’.”

Para onde está indo o telescópio?

Sara Seager: O telescópio vai viajar para muito, muito longe. Estará a 1 milhão de milhas de distância da Terra, em um ponto especial de equilíbrio entre a Terra e o Sol, onde é frio, escuro e muito adequado para astronomia.

Por que não vimos qualquer indicação de vida (inteligente ou não) até agora?

Seager: Ainda não encontramos sinais de vida na atmosfera dos planetas e exoplanetas porque ainda não tínhamos essa capacidade (de observação que temos agora).

Quanto à vida inteligente, é uma história completamente diferente – estamos aguardando sinais, mas a vida inteligente ainda não nos enviou nenhuma mensagem que chegasse aonde nossos telescópios alcançam.

O que acontecerá se o telescópio encontrar vida em algum lugar do universo? Quais os próximos passos?

Milam: O JWST não vai procurar vida em outros planetas, mas, sim, estudar suas atmosferas, procurar por moléculas de interesse como água, dióxido de carbono e metano.

Essas moléculas nos darão uma ideia do que está acontecendo naquele planeta e passaremos a acompanhar com futuros telescópios.

Depois de lançado, o telescópio Webb funcionará imediatamente ou levará algum tempo?

Mountain: quando é lançado, o telescópio não está pronto. Está embrulhado em seu casulo e tem que se desdobrar como uma borboleta por um milhão de milhas pelo espaço. Depois de cerca de um mês, ele tomará sua forma e então os cientistas terão que colocar todos os instrumentos para funcionar.

O telescópio Webb estará pronto para tirar suas primeiras fotos cerca de seis meses após o lançamento.

(Texto traduzido. Leia o original aqui.)

Mais Recentes da CNN