GaláxiaHidr

Telescópio sul-africano detecta laser de ondas de rádio, chamado megamaser

Megamasers são criados quando duas galáxias colidem uma com a outra

Ilustração de um artista mostra como o telescópio MeerKAT detectou um megamaser do espaço.
Ilustração de um artista mostra como o telescópio MeerKAT detectou um megamaser do espaço. IDIA/LADUMA/Nasa

Ashley Stricklandda CNN*

Ouvir notícia

Astrônomos detectaram um poderoso laser de ondas de rádio, conhecido como megamaser, no espaço.

Este megamaser recordista é o mais distante já observado a 5 bilhões de anos-luz de distância da Terra.

A luz deste laser espacial viajou 58 bilhões de bilhões quilômetros para chegar ao nosso planeta.

Uma equipe internacional de astrônomos, liderada por Marcin Glowacki, observou essa luz, usando o telescópio MeerKAT do Observatório de Radioastronomia da África do Sul. (MeerKAT é uma abreviação de Karoo Array Telescope, precedido pela palavra africâner para “mais”.)

Glowacki é pesquisador associado do nó da Universidade de Curtin do Centro Internacional de Pesquisa em Radioastronomia na Austrália.

Megamasers são criados quando duas galáxias colidem uma com a outra. É o primeiro megamaser de hidroxila que o MeerKAT observou, disse Glowacki.

Hidroxila, um grupo químico que consiste em um átomo de hidrogênio e um átomo de oxigênio, pode ser encontrado dentro de fusões de galáxias.

“Quando as galáxias colidem, o gás que elas contêm torna-se extremamente denso e pode disparar feixes de luz concentrados”, disse Glowacki em comunicado.

A equipe de pesquisa nomeou o laser Nkalakatha, que significa “grande chefe” em isiZulu, a língua bantas dos zulus na África do Sul.

Os astrônomos detectaram o megamaser na primeira noite de uma pesquisa que durou mais de três mil horas de observação usando o MeerKAT.

“É impressionante que, com apenas uma única noite de observações, já tenhamos encontrado um megamaser recorde”, disse Glowacki. “Isso mostra o quão bom é o telescópio.”

A equipe de pesquisa continua a usar o MeerKAT para observar de perto áreas estreitas no céu e procurar os mesmos elementos observados no megamaser. Isso poderia fornecer mais informações sobre como o universo evoluiu.

“Temos observações de acompanhamento do megamaser planejadas e esperamos fazer muitas outras descobertas”, disse Glowacki.

O telescópio MeerKAT, localizado na região de Karoo, na África do Sul, inclui um conjunto de 64 antenas de rádio e está em operação desde julho de 2018. O poderoso telescópio é sensível à fraca luz de rádio.

O MeerKAT é um precursor do transcontinental Square Kilometer Array, ou SKA, um telescópio em construção na África do Sul e na Austrália.

A matriz incluirá milhares de antenas parabólicas e até um milhão de antenas de baixa frequência em um esforço para construir o maior radiotelescópio do mundo.

Apesar do fato de que esses pratos e antenas estarão em diferentes partes do mundo, juntos eles criarão um telescópio com mais de um quilômetro quadrado de área de coleta. Como resultado, os astrônomos podem pesquisar todo o céu muito mais rapidamente do que com outros telescópios.

 

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN