Alife Nino compra Grupo Irajá, dono do Rainha, Princesa e outros bares

Grupo também adquiriu uma participação minoritária do exclusivo Fame Osteria, do italiano Marco Renzetti que passará comandar a cozinha do Nino; plano prevê o faturamento de R$ 700 milhões até o fim de 2024

Bar Eu Tu Eles, um dos muitos empreendimentos do Grupo Alife Nino, que tem plano arrojado de expansão para chegar a 87 estabelecimentos até o final de 2024
Bar Eu Tu Eles, um dos muitos empreendimentos do Grupo Alife Nino, que tem plano arrojado de expansão para chegar a 87 estabelecimentos até o final de 2024 Marcelo Bruzzi

CNN Viagem & Gastronomiado Viagem & Gastronomia

O Grupo Alife Nino, conhecido por marcas como Nino Cucina, Da Marino, Tatu Bola e Boteco Boa Praça, anunciou duas grandes novidades que compõem o seu plano de expansão. A primeira delas é a integração do portfólio do Grupo Irajá, do renomado chef Pedro de Artagão.

Com isso, os botecos Rainha (em SP e RJ), Taberna Rainha, Galeto Rainha e Princesa, além dos restaurantes Irajá Redux e Bastarda, no Rio de Janeiro, passam a somar a lista de empreendimentos do grupo.

Frigideira de frutos do mar do Boteco Rainha
Frigideira de frutos do mar do Boteco Rainha que pertence ao Grupo Irajá, do renomado chef Pedro de Artagão / Alexander Landau

Artagão continuará na ativa como um dos sócios minoritários e participará também da operação de parte do negócio. Agora com o cargo de head de gastronomia, será o responsável pela renovação dos cardápios dos bares do Alife Nino e estará à frente do Irajá Redux.

A outra novidade anunciada pelo Grupo é a aquisição de uma participação minoritária do exclusivo Fame Osteria, do italiano Marco Renzetti e Erika Renzetti, eleito o o 57º melhor da América Latina em 2023, segundo a disputada premiação Latin America’s 50 Best Restaurants. O chef, por sua vez, passará a comandar a cozinha do badalado Nino, em São Paulo, no lugar de Rodolfo de Santis, que deixa a função de executivo, mas continua também como sócio minoritário.

Alessandro Ávila, Pedro de Artagão, Pedro Silveira, Erika Renzetti e Marco Renzetti
Alessandro Ávila, Pedro de Artagão, Pedro Silveira, Erika Renzetti e Marco Renzetti / Ludmylla Barreto/Divulgação

Leia Mais:

 Tamanho da operação e expectativas futuras

Com as novidades, o Grupo tocará agora 60 operações divididas em 17 marcas, sendo 7 bares (Tatu Bola, Boteco Boa Praça, Tatuzinho, Eu Tu Eles, Rainha, Princesa e Toca do Tatu) e 10 restaurantes (Nino Cucina, Da Marino, Giulietta carni all’italiana, Ninetto, Forno da Pino, Peppino, Aquiles, Irajá Redux, Bastarda e Fame Osteria).

Burrata assada do Nino Cucina,
Burrata assada do Nino Cucina, que passa a ter chefia do italiano Marco Renzetti / Bruno Geraldi

O plano de expansão prevê que o Alife Nino contrate mais mil funcionários e chegue a 87 estabelecimentos até o fim de 2024. A expectativa é que o faturamento chegue a R$ 700 milhões – em 2023 o fechamento foi em R$ 483 milhões.

“Esse é o resultado da química perfeita entre Grupo Alife, Famiglia Nino, Grupo Irajá e Fame Osteria, quatro das mais bem-sucedidas operações de bares e restaurantes do Brasil, que combinaram anos de expertise complementar em uma integração que busca, de forma incessante, cuidar de cada detalhe e criar experiências inesquecíveis para encantar os nossos clientes. Essa é a receita que acreditamos culminar em um portfólio de marcas que, hoje, se destacam no mercado brasileiro, por oferecerem uma proposta de valor ousada e marcante”, reforça Pedro Silveira, presidente do Conselho do Grupo Alife Nino.