Badalados restaurantes internacionais chegam a Doha a tempo da Copa do Catar

Casas de comidas tradicionais do Oriente Médio dividem a cena com opções fresquíssimas vindas de outros cantos do mundo; beach club e restaurante japonês contemporâneo estão entre apostas temporárias

Daniela Filomeno no Souq Waqif; redondezas conta com cafés e restaurantes, como o surpreendente Parisa
Daniela Filomeno no Souq Waqif; redondezas conta com cafés e restaurantes, como o surpreendente Parisa Acervo pessoal

Daniela Filomenodo Viagem & Gastronomia Doha, Catar

Entre os arranha-céus de deslocar o pescoço e a pulsante cena artística com variadas exposições temporárias que se alongam até o início de 2023, Doha também surpreende os paladares mais variados com seus sabores.

A capital do Catar, país sede da Copa do Mundo de 2022, nos reserva restaurantes de cozinhas elevadas que apresentam pratos típicos de um mix de países do Oriente Médio e outros que apostam em culinárias estrangeiras, como a mediterrânea e a japonesa.

Seja em Al-Maha, ilha inaugurada em novembro em Lusail que é verdadeiro complexo de entretenimento que agrega restaurantes de renome internacional, ou ainda no centro de Doha, como no Souq Waqif, mercado tradicional que é um labirinto de lojas de perfumes, joias, tecidos e especiarias, podemos encontrar boas e interessantes opções nas regiões mais incríveis dos arredores da capital.

O mais interessante é que, com o desembarque da Copa do Mundo pela região, vários restaurantes internacionais badalados também aterrissaram por aqui, em que alguns até montaram até estruturas temporárias que servirão clientes até pouco tempo depois do fim do campeonato.

Casas com receitas persas, libanesas e japonesas fazem parte dos restaurantes fixos e já conhecidos na capital; entre os temporários, chamados de pop-up, há até filial do Zuma, que possui casas em Miami, Nova York, Londres e outras 17 locações mundo afora.

Recentemente estive em solo catari para acompanhar o primeiro jogo do Brasil na Copa e, entre passeios nos museus, pude degustar alguns de seus sabores mais peculiares, assim como trazer dicas frescas do que está rolando – e ainda rolará por algum tempo – no país árabe.

Culinária do Catar

Antes de falar dos restaurantes em si, ressalto a culinária típica do Catar, que hoje compreende uma mistura de sabores trazidos por povos que migraram para este território a partir do século passado.

Os ingredientes mais usados nos pratos tradicionais são similares aos da cozinha árabe, como arroz, lentilha, alho, aletria, grão-de-bico e tâmaras, para citar alguns, onde se sobressaem também ingredientes do Irã, Índia e Líbano.

Entre as proteínas, frutos do mar, carne de frango, bovina, de cordeiro, carne de cabra, peixes e até carne de camelo fazem parte das iguarias.

Especiarias típicas podem ser encontradas no mercado tradicional, o Souq Waqif / Daniela Filomeno

O bizar é uma das especiarias mais consumidas no país, que leva pimenta do reino preta, sementes de coentro, paus de canela, cravo, gengibre seco, cardamomo em grãos, pimenta vermelha seca e raízes de açafrão.

O Daqoos é como um molho vermelho e o Hisso também é comum, com gengibre seco, canela, cardamomo em grãos, pimenta do reino preta, raiz de açafrão e sementes de cominho.

Vale lembrar que o prato nacional é o Machbous, prato árabe com arroz e algum tipo de carne.

Onde comer em Doha

Com fome? A seguir, confira uma seleção de 10 casas de cozinhas variadas em Doha e arredores:

Tradicionais

Parisa Persan Cuisine

Daniela Filomeno nos corredores do Parisa, com milhares de pequenos espelhos vindos do Irã / Acervo pessoal

Em Doha, o Souq Waqif, mercado tradicional, é parada obrigatória para entrarmos em contato com arquitetura catari e lojas de especiarias. Também há alguns interessantes cafés e restaurantes no entorno.

Entre eles destaco o Parisa Souq Waqif, uma experiência autêntica da culinária persa em um ambiente hipnotizante com obras de arte, afrescos pintados à mão de mitos e lendas, mosaicos de espelhos e vidros e lustres suntuosos. É como entrar num outro mundo!

Aberto em 2012, a marca já expandiu os negócios e mantém casas também no Marrocos e na Suíça, sempre com delícias persas à frente do menu, como almôndega de romã, pernil de cordeiro inteiro servido com arroz misto ou ainda pernil de cordeiro cozido lentamente e servido com favas e arroz aromatizado com endro.

Curiosidade: milhares de pequenos espelhos escolhidos a dedo no Irã foram transportados e montados no interior do restaurante. O processo levou cerca de três anos e meio. É com certeza um local imperdível em meio ao centrinho comercial.

Mamig Armenian and Lebanese

Mamig é especializado em pratos do Líbano e da Armênia / Reprodução/site

Um dos únicos restaurantes a servir autêntica comida armênia e libanesa no Catar, o Mamig, além da elogiada comida, tem um terraço com vistas surpreendentes para o Golfo Pérsico e o skyline de Doha.

A charmosa casa fica em meio ao Katara Cultural Village, uma vila cultural com anfiteatro, museu e centro de convenções à beira-mar que fica entre o distrito financeiro de West Bay e as torres do bairro residencial The Pearl.

Aberto no almoço e no jantar, o restaurante tem menu preparado por chefs nativos da Armênia e do Líbano, e os kebabs são as estrelas entre os pratos principais junto com opções de cordeiro. Pratos especiais do dia também estão entre as pedidas.

Internacionais

Coya

Dentro do vibrante e sofisticado W Doha, hotel na área de West Bay, o Coya desembarcou na capital do Catar para oferecer mais uma vez sua excelente gastronomia inspirada na cultura da América Latina, com foco em pratos peruanos com uso de técnicas japonesas, chinesas e espanholas.

Digo “mais uma vez” pois o Coya já tem tradição de qualidade em outros endereços internacionais, como em Londres, Abu Dhabi, Monte Carlo e Mykonos.

Ao entrar no restaurante já notamos seu ambiente arrojado e multissensorial, com aromas, arte nas paredes e batidas tribais que fazem parte da trilha sonora da casa.

Do menu, recomendo a fresca guacamole com tortillas de milho e biscoitos de camarão, assim como churros de batata com queijo manchego e trufas negras. De principal, o risoto com robalo é delicioso. As opções podem ser escolhidas à la carte ou ainda como parte de um menu fixo com outros variados itens individuais e para compartilhar.

A casa ainda serve brunch e tem sala privativa. Vale ressaltar que o dress code é casual, mas sem chinelos, shorts ou roupas esportivas.

Nobu

Rooftop do Nobu em Doha, dentro parte do hotel Four Seasons / Christian Horan

Conhecido mundo afora por seu alto status com a culinária japonesa, o Nobu também chama de lar a capital do Catar. Tido como o maior dos restaurantes da marca, o estabelecimento em Doha faz parte do luxuoso hotel Four Seasons.

A começar, a arquitetura já chama nossa atenção de longe, já que a casa fica em cima do mar como parte da marina, ficando ao lado de embarcações. Assim, as vistas para o Golfo e os prédios de Doha são atrativos bem sedutores daqui.

Ao todo, são sete diferentes espaços, que incluem salão principal com 134 lugares, balcão com 10 lugares, duas salas privativas, dois lounges e um rooftop elegante.

Entre os pratos-assinatura estão a perna de king crab, os tacos com wagyu e molho ponzu e o black cod mergulhado em missô doce.

IDAM

O Idam é um caso à parte: a assinatura do superelegante restaurante no coração do Museu de Arte Islâmica é de ninguém menos do que Alain Ducasse, chef mais estrelado do mundo.

Situado no quinto andar do museu – que tem mostra de Yayoi Kusama até o fim de dezembro -, o restaurante tem decoração pelas mãos de Philippe Starck, o mesmo por trás dos interiores do Rosewood São Paulo.

À mesa, o chef apresenta uma cozinha mediterrânea com toques de sabores árabes. O prato principal é a carne de camelo com foie gras de pato, trufa negra e batatas suflê, em que leva seis dias para ser preparado.

Como já é quase regra em Doha, as incríveis vistas para a baía e parte do Golfo e para os prédios modernos da capital também estão presentes. A dica é tentar uma reserva com bastante antecedência.

Novidades frescas em Al-Maha Island

Zuma

Zuma Doha fica na ilha construída de Al-Maha / Reprodução/Instagram

Parte das novíssimas aberturas na ilha de Al-Maha, o Zuma também é mais uma cadeia de restaurantes internacionais que ganhou uma filial em Doha – mas até março de 2023, já que é um endereço temporário.

A casa segue o padrão das irmãs encontradas na Europa, Estados Unidos, Ásia e em outros endereços do Oriente Médio: servir uma cozinha japonesa contemporânea com pegada de izakaya informal.

O restaurante abriu em 14 de novembro e conta com um salão principal, lounge e bar, assim como um terraço e sala privativa com vistas para o mar – um DJ também irá embalar a trilha sonora durante a temporada.

Nammos Beach Club

Piscina à beira-mar do Nammos Beach Club em Doha / Leo Bautista

Destino obrigatório quando em Mykonos, na Grécia, o beach club sai da praia europeia e chega com o mesmo conceito diretamente na capital catari.

O joie de vivre grego pode ser também degustado no restaurante pop-up do clube, o qual foca em frutos do mar, sushis e cortes selecionados de carnes nobres.

Drinques caprichados e champanhe são também companhias que caem bem com o ambiente, que tem tons brancos e uso de madeiras leves.

Carbone

Aberto há pouquíssimas semanas a tempo da Copa do Mundo, o Carbone saiu das ruas de Nova York e Miami e inaugurou uma casa irmã na ilha de Al-Maha.

Com cozinha ítalo-americana, a essência do restaurante segue suas raízes e homenageia as casas de comida italiana em Nova York de meados do século 20. De ambiente amadeirado com detalhes em verde-esmeralda, incluindo os robustos sofás de couro, a energia é a mesma encontrada nos Estados Unidos, mas com o toque de Doha.

Peixe branzino, almôndegas, salada de frutos do mar, linguini ao vôngole e rigatoni spicy vodka estão entre os pratos tradicionais.

LPM Restaurant & Bar

Oitavo endereço do LPM no mundo, com casas em Miami, Dubai e Hong Kong, por exemplo, o restaurante também é parte das novidades na Al-Maha Island e vizinho dos outros estabelecimentos de frente para o mar.

Aberto no último dia 17 de novembro, toda a ambientação foi construída com o propósito de nos transportar para a Riviera Francesa, com vista para as águas do Golfo e grandes embarcações.

Assim como nas outras filiais, o menu foca em criações mediterrâneas, como o ratatouille com queijo feta, escargots, robalo com alcachofras e tomates e costeletas de cordeiro marinadas com caviar de azeitona, berinjela e pinhões.

Em Sherif

Com endereços em Mônaco, Damasco e Kuwait, o Em Sherif tocou o solo catari diretamente na Al-Maha Island e engrossa as opções de boas opções nas redondezas da capital.

O conceito de jantar sofisticado da restaurateur Mireille Hayek foca na culinária libanesa e traz para a mesa delícias como falafel, kebab, soujok e taouk em um ambiente sereno, como se fosse uma mansão olhando para o mar.