Baguete francesa entra para lista de Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco

Iguaria da França entra para um panteão culinário ao lado de outras iguarias regionais de todo o mundo

Baguete francessa entra para lista da Unesco de Patrimônio Cultural da Humanidade
Baguete francessa entra para lista da Unesco de Patrimônio Cultural da Humanidade CNNi

CNN Viagemda CNN

A baguete, o pão longo e crocante, um alimento delicioso e básico da vida francesa, recebeu o status de proteção especial, colocando-o em um panteão culinário ao lado de outras iguarias regionais de todo o mundo.

O “saber fazer artesanal e a cultura da baguete” é agora oficialmente reconhecido na lista de Património Cultural Imaterial da Unesco, de acordo com anúncio da organização nesta quarta-feira (30), inscrevendo a perícia por detrás do pão francês como parte integrante da cultura da humanidade.

A Unesco – órgão cultural da ONU (Organização das Nações Unidas)– define o patrimônio cultural imaterial como “tradições ou expressões vivas herdadas de nossos ancestrais e transmitidas aos nossos descendentes”.

A baguete se junta a outros alimentos e culturas culinárias na lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco, incluindo a confecção de pizza napolitana, o kimchi coreano, a cultura da cerveja belga, a dieta mediterrânea e o café árabe.

Enquanto locais dos Estados Unidos, incluindo a Estátua da Liberdade, o Parque Nacional de Yellowstone e o Independence Hall da Filadélfia são reconhecidos pela Unesco como Patrimônio Mundial, nada dos EUA está atualmente listado na lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da organização.

Tradição e artesanato

A diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, disse à CNN que o status que protege a baguete presta homenagem à “tradição”, “artesanato” e garante que a “maneira artesanal de assar” seja “transmitida para a próxima geração”.

“É uma espécie de modo de vida”, disse Azoulay. “Há sempre uma boulangerie por perto, você pode comprar pão fresco a preços acessíveis e conhecer pessoas, encontrar padeiros, é um elemento muito importante de coesão social.”

Azoulay disse que levou seis anos para a França coletar toda a documentação necessária antes de enviar seu pedido à Unesco.

“Isso fará com que as pessoas percebam que essa baguete comum, que elas conhecem muito bem, é algo precioso”, disse ela. “Vem da história e tem caráter e é importante conscientizar o público sobre isso, para se orgulhar disso.”

Embora as boulangeries na França normalmente vendam vários tipos de baguetes, as melhores são conhecidas como baguetes de tradição ou simplesmente tradicionais. Estes só podem ser feitos com quatro ingredientes – farinha, água, sal e fermento ou fermento – e devem ser assados ​​no local.

De acordo com o Observatoire du Pain, um grupo de pesquisa que acompanha os hábitos e tendências de consumo de pão na França, a taxa média diária de consumo de pão entre os adultos caiu de 143 g/dia em 2003 para 103 g/dia em 2016. Um aumento nas cadeias de supermercados que vendem pão foi responsabilizado pelo fechamento de centenas de padarias familiares.

(Publicado por Carolina Farias)