Na rota do vinho: 10 dicas para sua próxima viagem de enoturismo

A atenção a alguns detalhes do roteiro antes e durante a visita a vinícolas pode tornar sua experiência ainda mais especial; confira dicas da nossa colunista Pri Matta

Pexels

Pri Mattacolaboração para o Viagem & Gastronomia

Toda vez que fazemos as malas para viajar, cuidados e preparos específicos devem ser considerados.

Um turismo de aventura, por exemplo, pode requerer treinamento ou equipamentos especiais. Uma viagem de luxo demanda planejamento financeiro; já um roteiro cultural pede algum conhecimento prévio e atenção às regras de etiqueta e tradições locais.

No caso do enoturismo, estamos falando de vivências que exploram todos os nossos sentidos. A capacidade de interpretar as paisagens locais e decifrar novos aromas, sabores e texturas são colocados à prova para traçar todo o percurso que vai do terroir até o vinho que está na taça.

E isso não é exclusividade de experts no assunto: qualquer um pode embarcar nessa experiência sensorial.

A seguir, confira 10 dicas para tirar o maior proveito de uma viagem que envolva enoturismo:

1. Agende a visita com antecedência. Muitas vinícolas oferecem não somente degustações, mas também outros passeios mediante reserva, como piqueniques, bike tour e experiências sensoriais;

2. Se possível, se organize para ir à época da colheita, que é uma excelente oportunidade para entender melhor o processo de produção do vinho. Nos países do Hemisfério Sul acontece geralmente entre fevereiro e abril; no Hemisfério Norte, entre agosto e outubro;

3. Programe no máximo duas vinícolas por dia, para que a viagem seja prazerosa e não cansativa. Uma sugestão é começar pela manhã por uma vinícola que ofereça almoço e agendar uma segunda propriedade na parte da tarde, até o pôr do sol;

4. Intercale pequenas e grandes vinícolas no roteiro. As grandes costumam ter um tour mais completo por todos os processos de produção – desde a visita ao vinhedo até a adega, onde ocorre a vinificação. As pequenas são uma oportunidade de conversar e aprender diretamente com a pessoa que produz o vinho;

5. Use roupas e sapatos confortáveis, as vinícolas geralmente são propriedades rurais, onde se caminha bastante, inclusive pelos vinhedos. Lembre-se de levar um casaco, porque a parte de visita às adegas são sempre muito frias;

6. Evite escovar os dentes com pasta ou usar perfumes logo antes de sair para a degustação. Vai prejudicar a sua capacidade de sentir os aromas e sabores dos vinhos – o perfume ainda pode atrapalhar a experiência de outras pessoas que estiverem degustando por perto;

7. Beba muita água durante todo o dia. O álcool provoca ressecamento do corpo, então é muito importante hidratar ao longo das degustações. A água ainda ajuda a limpar o paladar entre os vinhos;

8. Conheça a gastronomia local para aprender mais sobre harmonização: comidas e vinhos que vêm do mesmo espaço de terra tendem a combinar;

9. Experimente vinhos feitos com uvas típicas da região. É a melhor forma de entender o terroir, ou seja, como as características geográficas, geológicas, climáticas e humanas influenciam no que é produzido ali;

10. Traga na mala de volta vinhos da região, preferencialmente os que não são fáceis de encontrar no Brasil. Em voos domésticos é permitido embarcar com até cinco litros na mala de mão. No caso de voos internacionais, o limite é de até 12 litros na bagagem despachada.

*Os textos publicados pelos Insiders e Colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do CNN Viagem & Gastronomia.

Sobre Pri Matta

Pri Matta compartilha sua paixão pelo mundo dos vinhos no perfil @deondevinho / Acervo pessoal

Priscilla é jornalista, sommelière e idealizadora do perfil @deondevinho no Instagram. Ela deixa claro que por lá não fala sobre vinhos, mas sobre momentos. É que o vinho está em todos!