Novidade em Copacabana, Kinjo é raro representante da cozinha nikkei em terras cariocas

Original de Brasília, casa do restaurateur Marco Espinoza é marcada por receitas que apresentam uma fusão de sabores, técnicas e aromas das cozinhas japonesa e peruana

Kinjo tem ambiente amplo com decoração marcada por bandeirinhas penduradas no teto
Kinjo tem ambiente amplo com decoração marcada por bandeirinhas penduradas no teto Fabio Wright

Fabio Wrightcolaboração para o Viagem & Gastronomia Rio de Janeiro

Com apetite voraz para expandir seus negócios, o chef e restaurateur peruano Marco Espinoza construiu um pequeno império gastronômico de vinte casas espalhadas por três estados — Rio, São Paulo e Brasília.

Dono de endereços como Lima Cocina Peruana, Cantón, Chaco e Meat and Chili, ele estreou em terras cariocas mais um de seus restaurantes, o Kinjo, que nasceu em Brasília.

Na rua Duvivier, em Copacabana (pertinho do Copacabana Palace), na zona sul do Rio de Janeiro, a casa filia-se à chamada culinária nikkei, marcada por receitas que apresentam uma fusão de sabores, técnicas e aromas das cozinhas japonesa e peruana.

 

No ambiente amplo e alto-astral, marcado por dezenas de bandeirinhas coloridas penduradas no teto, vale começar a refeição com duas sugestões que traduzem bem o espírito da cozinha nikkei.

Uma delas é o niguiri andino (R$ 26 a dupla), que traz sobre o bolinho de arroz japonês uma fatia de atum cru incrementada com ají amarelo, quinoa e pimenta togarashi.

Segue a mesma pegada nipo-peruana o sushi roll (R$ 45 com 10 peças), recheado de camarão empanado, abacate e peixe branco e coberto por um inusitado molho acevichado (preparado com o leche de tigre do ceviche).

A casa serve também ceviches (a partir de R$ 39), sashimis (R$ 159; 20 unidades, com os melhores peixes e frutos do mar do dia) e ótimos pratos quentes, como o tuna quinoa (R$ 72), que reúne atum selado em crosta de quinoa com purê de cará e molho spicy nikkei.

Vale provar ainda o polvo grelhado (R$ 79) com chimichurri andino e molho de pimenta amarela. Vem acompanhado de arroz salteado na wok com vegetais, camarão, lula e polvo.

Quem gosta de drinques robustos não pode perder o inkas smoke (R$ 35), assinado pelo barman peruano Anthony Aedo. A delícia etílica reúne uísque, Brasilberg, vermutes tinto e branco e bitter de milho-roxo. Servido numa garrafa de vidro, é defumado antes de ir para mesa com canela e alecrim.

Kinjo Nikkei
Rua Duvivier, 21-A, Copacabana, Rio de Janeiro – RJ 
Tel.: (21) 2143-5059.
Horário de funcionamento: segunda a quinta-feira das 12h às 17h e das 18h às 23h; sexta, 12h às 17h e 18h à 0h; sábado das 12h à 0h; domingo das 12h às 22h.
@kinjonikkei.br

Sobre Fabio Wright

Fabio Wright é jornalista gastronômico e nome por trás do site e perfil Taste and Fly / divulgação

Jornalista paulistano que transita semanalmente entre São Paulo e Rio, já escreveu sobre gastronomia para grandes veículos, como Veja São Paulo, O Estado de S. Paulo e Época São Paulo. Nos últimos dez anos, visitou dezoito países em busca de bons lugares para comer, beber, badalar e exercitar a boemia. Compartilha também suas descobertas no site e Instagram Taste and Fly.

*Os textos publicados pelos Insiders não refletem, necessariamente, a opinião do CNN Viagem & Gastronomia.