O Rio de Janeiro de “How To Be a Carioca”, série estrelada por Seu Jorge

Do Morro do Vidigal até a Pedra do Arpoador, produção nacional destaca diferentes pontos turísticos da Cidade Maravilhosa; confira um roteiro pelos principais deles

Seu Jorge em cena de "How To Be a Carioca" com os Arcos da Lapa ao fundo, no Centro do Rio
Seu Jorge em cena de "How To Be a Carioca" com os Arcos da Lapa ao fundo, no Centro do Rio Divulgação

Saulo Tafarelodo Viagem & Gastronomia Rio de Janeiro, RJ

Pano de fundo para inúmeras novelas e filmes, o Rio de Janeiro – e o jeitinho carioca de ser – é peça central de “How To Be a Carioca“, série nacional estrelada por Seu Jorge disponível no Star+. Lançada no fim de outubro, a produção apresenta histórias de personagens de diferentes lugares do mundo que experimentam o Rio de diversas formas e tentam se adaptar à cultura local.

Cada episódio foca em um personagem, seja da Argentina, Alemanha, Síria, Israel ou Angola. Todos chegam à Cidade Maravilhosa e vivem alegrias e adversidades, em que acabam se esbarrando com Francisco (Seu Jorge), que os auxilia em diferentes situações.

Com direção artística de Carlos Saldanha (de “A Era do Gelo 2; “Rio” e “O Touro Ferdinando”), vários são os pontos turísticos da cidade que ajudam a ambientar a série. Do Morro do Vidigal até a Pedra do Arpoador, confira a seguir um roteiro pelos principais pontos do Rio retratados em “How To Be a Carioca”: 

Cristo Redentor

Estátua de Cristo Redentor, no Rio de Janeiro
Cristo Redentor é cartão-postal do Rio e uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno / Wikimedia Commons

Cartão-postal do Rio de Janeiro, o Cristo Redentor não poderia ficar de fora da série: o monumento é retratado na telinha logo no primeiro episódio. Construída em 1931, a estrutura de concreto armado e pedra-sabão é considerada uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e foi o 4º marco cultural mais buscado no Google no ano passado.

O acesso ao Cristo é feito através de van, carro ou trem. As vans saem de três pontos do Rio, com ingresso de ida e volta, e o passeio de trem dura cerca de 20 minutos, em que atravessa a Mata Atlântica até chegar ao topo do Corcovado.

E já imaginou como é subir nos braços do Cristo e ter uma vista do Rio a mais de 700 metros acima do nível do mar? O CNN Viagem & Gastronomia gravou um programa no monumento e te conta a experiência completa aqui.

Escola de Música da UFRJ

Salão principal da Escola de Música da UFRJ, no centro do Rio
Salão principal da Escola de Música da UFRJ, no centro do Rio / Tainá del Negri / Flickr

O segundo episódio começa na Alemanha, quando o maestro Matthias (Peter Ketnath) é convocado para reger uma orquestra no Rio. Já na Cidade Maravilhosa, os ensaios e o espetáculo ocorrem na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), considerada a instituição de ensino musical mais antiga em atividade no Brasil. 

Criada em 1841 por Francisco Manuel da Silva, a instituição só foi inaugurada em agosto de 1848 sob o nome Imperial Conservatório de Música, funcionando desde então de forma ininterrupta. Hoje, sua sede fica na Rua do Passeio, na Lapa, a uma curta distância dos Arcos da Lapa, em que o local possui vários ambientes para recitais, concertos, exposições e atividades culturais.

Lapa

Personagens de How to be a Carioca na Lapa, região central do Rio de Janeiro
Matthias (Peter Ketnath) e Francisco (Seu Jorge) tomam caipirinha na Lapa, tradicional região boêmia do Rio / Divulgação

Por falar no Centro, a Lapa faz mais uma aparição honrosa na série. É aos pés dos famosos Arcos da Lapa, antigo Aqueduto da Carioca, que os personagens Matthias e Francisco se encontram.

Em plena luz do dia, os dois apreciam uma caipirinha em uma mesa de bar com os arcos como pano de fundo. Considerados como a obra arquitetônica de maior porte do Brasil durante o período colonial, os arcos são hoje um cartão-postal do Rio e do Centro.

As ruas das redondezas são conhecidas pela boêmia e pela vida noturna agitada, assim como são lar para duas importantes casas de show: a Fundição Progresso e o Circo Voador.

Feira de São Cristóvão

Exterior da Feira de São Cristóvão, no Rio de Janeiro
Feira de São Cristóvão tem lojinhas, restaurantes, bares e músicas tradicionais do Nordeste / Leonardo Shinagawa/Flickr

Considerado o mais importante polo de cultura nordestina no Rio de Janeiro, a Feira de São Cristóvão aparece na série ainda no segundo episódio, quando Matthias visita o local e se encanta pela caipirinha e com os instrumentistas tocando forró.

Com quase oito décadas de existência, o Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas reúne centenas de vendinhas e lojas com artesanato, comida e bebida do Nordeste, além de ter uma programação com folclore e música.

O centro cultural é um dos principais equipamentos culturais da cidade e abre de terça à quinta-feira das 10h às 18h; de sexta e sábado das 10h às 4h e domingo das 10h às 20h. Confira as informações no site.

Ipanema e Arpoador

Praia de Ipanema no pôr do sol
Praia de Ipanema no pôr do sol / Wikimedia Commons

Claro que, se tratando do Rio, as praias não poderiam faltar na telinha. É no terceiro episódio que as praias de Ipanema e do Arpoador aparecem com mais força na trama, quando o sírio Nabil (Ahmad Kontar) passa a vender kibe nas areias e desenvolve uma amizade com Soraya (Débora Nascimento).

Enquanto Ipanema é retratada com jogos de vôlei de praia, muito sol e mar, é na Pedra do Arpoador que os personagens assistem ao pôr do sol, com direito a palmas quando o sol se esconde no horizonte.

Por falar no Arpoador, o quarto episódio também tem cenas na região: a tia de Laila (Swell Ariel Or) mantém um apartamento no pedaço e uma das passagens é feita rooftop do Hotel Arpoador, com vista para o Morro Dois Irmãos para toda a orla.

Morro do Vidigal

O Morro do Vidigal aparece no quarto episódio, em que a personagem Laila chega de Israel e se encanta pelo morro e pelo mirante.

De fato, o Morro do Vidigal possui alguns pontos turísticos com paisagens privilegiadas para o Rio de Janeiro, como é o caso da Trilha do Morro Dois Irmãos, cujo pico tem vistas recompensadoras do Cristo, do Jockey, da Lagoa Rodrigo de Freitas, das praias da Zona Sul – Ipanema, Leblon, Copacabana – e do Pão de Açúcar.

A aventura não para por aí: quem quiser ainda tem a opção de realizar rapel pela região para conhecer o Rio a partir de um outro ângulo.

Além disso, o Morro do Vidigal ainda é lar do Mirante do Arvrão, hotel que possui bar aberto ao público em geral com vistas privilegiadas para o entorno, assim como o Bar da Laje, reconhecido como patrimônio histórico, cultural e turístico do Estado do Rio e que, além de coquetéis e bebidas, sedia programação com rodas de samba e shows.

No episódio, um dos locais que fazem uma ponta na história é a sede do Grupo de Teatro Nós do Morro, que oferece formação técnica a jovens da comunidade do Morro do Vidigal e funciona como organização social com a missão de dar acesso à arte e a educação.

Maré

Personagens da série How To Be a Carioca em projeto no bairro da Maré
Karima (Heloísa Jorge) e Agostinho (Lélis Twevekamba) em How To Be a Carioca / Rachel Tanugi Ribas

O bairro da Maré é retratado na série no quinto episódio, o qual traz uma reflexão sobre o racismo no país. Na Zona Norte do Rio, o bairro é morada para cerca de 140 mil habitantes e é conhecido cidade afora por aglomerar diversos projetos sociais de impacto.

Um dos mais importantes é a Redes da Maré, que luta há mais de duas décadas pela garantia dos direitos dos moradores do bairro. A Redes da Maré trabalha com uma agenda social e realiza projetos, ações e campanhas – um dos exemplos mais recentes é o Festival Comida de Favela, evento gastronômico que ocorre entre 3 de novembro e 2 de dezembro com bares e restaurantes das 16 favelas da Maré, em que 17 estabelecimentos terão que preparar um prato especial.

Também são mantidos alguns equipamentos culturais, como a Casa das Mulheres da Maré, a Casa Preta da Maré e o Centro de Artes da Maré.

Píer Mauá

Mart'nália como Xerxes no Píer Mauá, na Zona Portuária do Rio
Mart’nália como Xerxes no Píer Mauá, na Zona Portuária do Rio / Divulgação

No sexto e último episódio, Francisco encontra Xerxes (Mart’nália) no Píer Mauá, na Zona Portuária do Rio, em que a cena tem como pano de fundo um mural da artista Rita Wainer com a frase “Saudade é amor, te sigo esperando”.

A obra faz parte do Museu de Arte Urbana do Porto, que traz mais de 50 murais espalhados pelas imediações de Santo Cristo, Gamboa e do Boulevard Olímpico. O Píer Mauá é hoje destino para grandes eventos e também onde está o Terminal Internacional de Cruzeiros.

No entorno há importantes aparelhos culturais da cidade, como o Museu de Arte do Rio (MAR), o Museu do Amanhã, a Praça Mauá, a Pedra do Sal, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-Rio), além do Mosteiro de São Bento e do edifício A Noite, primeiro arranha-céu do Rio.

Saara

No centro histórico do Rio de Janeiro, o Polo do Saara é um dos maiores shoppings a céu aberto da América Latina. São onze ruas nas adjacências da Rua da Alfândega que reúnem mais de 800 lojas, a maioria de comércio popular. É amplamente conhecido por ser um local que vende muitas lembrancinhas da Cidade Maravilhosa.

No episódio final, Francisco revisita alguns pontos turísticos da cidade e passa pelo Saara, onde busca seu passaporte e acaba lembrando de seus tempos como compositor.

Todo os seis episódios de “How To Be a Carioca” estão disponíveis no serviço de streaming Star+.