Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Foton lança primeiras picapes híbridas a diesel do Brasil e novos caminhões

    Gigante chinesa no ramo dos veículos comerciais lança seus primeiros automóveis no país e anuncia planos para produção nacional

    Foton Aumark S 315
    Foton Aumark S 315 Divulgação/Foton

    João Vitor Ferreiracolaboração para a CNN

    Há mais de 10 anos no Brasil, a Foton é uma das maiores montadoras chinesas no segmento dos veículos comerciais. Agora, é provável que seu nome passe a ser mais conhecido pelos brasileiros, já que está iniciando sua operação com automóveis por aqui e já estreia em uma seção que promete ser promissora.

    Seus primeiros lançamentos nacionais serão as picapes híbridas Tunland V7 e V9, que apesar de serem dois modelos distintos, compartilham muitas semelhanças. O tamanho é a primeira delas, com ambas tendo os mesmos 5,617 metros de comprimento e 3,355 metros de entre-eixos. As picapes também serão as primeiras híbridas a diesel do país.

    A distinção fica por conta de outras dimensões: a V9 mede 2,09 metros de largura e 1,95 metro de comprimento, sendo 9 centímetros mais larga e 4 centímetros mais alta que a V7.

    Sob o capô, o motor é o 2.0 turbodiesel de quatro cilindros, que é auxiliado por um motor elétrico Valeo de 48V. Segundo a montadora, o conjunto entrega 175 cavalos e 4,88 kgfm, sendo capaz de fazer as picapes acelerarem de 0 a 100 km/h em 8,8 segundos. O consumo médio é de 12,5 km/l e tem autonomia máxima de 960 quilômetros, de acordo com a Foton.

    As picapes têm transmissão automática ZF de oito marchas, que distribui a tração entre as quatro rodas.

    O motor a diesel é o responsável por empurrar o carro na maior parte do tempo. Já o motor elétrico é acionado em acelerações mais fortes e pode tracionar o carro em baixas velocidades, reduzindo o consumo e as emissões de gases poluentes.

    As duas picapes também têm sistema start/stop, bloqueio do diferencial traseiro e assistente de descida. Mas cada um traz um conjunto de suspensão específico: a V7 é equipada com suspensão Macpherson, que foi colocado para trazer mais conforto, segundo a montadora. Já a V9 tem feixe de mola, mais rígido que o da “irmã”, projetado para o off-road e trabalho pesado, como explica a marca.

    Há mais semelhanças na parte de dentro dos veículos. Todo o layout do painel é idêntico nas duas picapes, trazendo um console central com dois seletores giratórios (um para os modos de condução e outro para os modos de tração), além de alguns comandos do carro e a alavanca de câmbio.

    O acabamento é quase todo em couro, incluindo painel, portas e bancos. A diferença para as duas picapes está na escolha de cores: marrom claro para a V9 e preto para a V7.

    As duas picapes trazem como principais equipamentos duas telas de 14,6’’ (uma para o quadro de instrumentos digital e outra para a central multimídia), câmera 360º e sensores de ré, ar-condicionado digital de duas zonas, bancos com ajustes elétricos, leitura de faixa, sensor de ponto cego, seis airbags e alerta frenagem.

    É no visual externo que estão as principais diferenças entre a V7 e a V9. A V7 tem faróis verticais de LED com DLRs finos em forma de L invertido, que lembram muito os da Ford F-150. Já a traseira é simples e sem muitos detalhes, tendo apenas o nome do modelo destacado e um par de luzes verticais.

    Enquanto isso, a V9 parece ter sido inspirada na Ram 1500. Diferente da V7, que tem faróis verticais, os da V9 são mais horizontais. A grade tem um formato incomum, sendo bem larga, mas sem nenhum tipo de decoração, havendo apenas uma pequena plaqueta indicando a motorização híbrida.

    A V9 tem uma traseira mais chamativa. No centro da tampa da caçamba, há o nome da montadora inscrito em alto-relevo, com letras grandes.

    As picapes seguem em fase de homologação, e a previsão da Foton é que as vendas comecem até janeiro de 2025. Os preços ainda não foram definidos, mas a marca estima uma faixa entre R$ 250 mil e R$ 280 mil.

    Novos caminhões e fábrica no Brasil

    Além das picapes, a Foton também está apresentando novos caminhões para a sua linha.

    O maior deles é o Auman 17T, um semipesado equipado com motor Cummins F4.5L de 220 cavalos e, como seu nome sugere, peso bruto de 17 toneladas.

    Há ainda o semileve Aumark S 315, que chega em versões com câmbio manual e automático de cinco marchas. Seu Cummins é um Cummins 2.5 de 150 cavalos e o peso bruto é de 3.500 quilos.

    O terceiro lançamento é o iBlue, um pequeno caminhão elétrico voltado para entregas urbanas. O comercial tem 6.000 quilos de peso bruto e 3.575 quilos de carga útil. Ele é equipado com duas baterias CATL de 81 kWh, que garantem até 200 quilômetros de autonomia e alimentam um motor de até 156 cavalos.

    O menor e último dos lançamentos é o utilitário Wonder. Ele tem motor 1.6 a gasolina, câmbio manual de cinco marchas e chega nas configurações de cabine simples e dupla, cada uma com 1.495 quilos e 1.245 quilos.

    A Foton pretende ampliar sua atuação no Brasil com o início de uma produção nacional. De acordo com a montadora, os planos para isso já estão avançados, mas ainda não foi especificado se eles irão comprar uma planta ou construir do zero. A possibilidade de uma parceria com alguma empresa local também não está descartada.

    A ideia é que a produção nacional inicie em 2028 com veículos comerciais. Picapes estão em segundo plano.