Equipe econômica de Guedes sofre terceira baixa

No início do mês, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, também decidiu deixar o governo

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
26 de julho de 2020 às 15:39 | Atualizado 27 de julho de 2020 às 07:57

O economista Caio Megale, diretor da secretaria especial da Fazenda do Ministério da Economia, pediu demissão. É a terceira baixa na equipe do ministério Paulo Guedes nas últimas semanas.

No início do mês, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, também decidiu deixar o governo e seguir para a iniciativa privada. Ele foi substituído no cargo por Bruno Funchal.

E, na sexta-feira, foi a vez do presidente do Banco do Brasil, Rubens Novaes, comunicar ao mercado que deve deixar o posto ainda no mês de agosto.

Leia também:

"Não me adaptei à cultura de compadrio de Brasília", diz presidente do BB

Bastidores da saída de Novaes do BB: cansaço, resistência interna e inquérito

Novaes disse à CNN que deixou o cargo por não se adaptar ao "clima de privilégios de Brasília" e por acreditar que o BB precisa de um presidente mais jovem e afinado com as novas tecnologia.

Megale - que também ocupou os postos de secretário da Indústria e Comércio e assessor no gabinete do ministro - afirmou que decidiu sair do governo por motivos pessoas. "Completei meu ciclo no setor público. Foram quase quatro anos desde a prefeitura. A família também vinha pedindo muito", disse Megale à CNN.

Ele também foi secretário da Fazenda da prefeitura de São Paulo na gestão João Doria. Megale permanece no ministério até o fim deste mês. Depois deve passar por um período de quarentena e migrar para a iniciativa privada.