Netflix, HBO, Amazon? Descubra qual plataforma combina com você e com seu bolso


Manuela Tecchio, do CNN Brasil Business, em São Paulo
25 de setembro de 2020 às 16:35
Netflix

Netflix precisou aumentar preços ao longo dos anos; veja se ainda compensa no seu caso

Foto: Mollie Sivaram/Unsplash

Já deve ter acontecido algo parecido com você: o filme mais comentado do momento ou a série que todo mundo está maratonando está justamente na única plataforma de streaming que você não assina. Aí surge a dúvida: vale a pena colocar mais uma despesa fixa no meu cartão de crédito?

De acordo com a planejadora financeira certificada pela Planejar, Eliane Tanabe, não. “Minha recomendação é sempre escolher apenas uma plataforma e utilizá-la ao máximo possível. Se a vontade de diversificar for muito grande, alugue esporadicamente um filme ou outro”, explica.

O conselho da planejadora é prestar muita atenção nesses gastos fixos. “Parece inofensivo gastar R$ 9,90, R$ 12,90, mas dependendo da quantidade de serviços que você quer consumir, isso tem um peso muito grande no orçamento doméstico”, diz Tanabe. 

Leia também:
‘A Netflix é uma empresa de entretenimento, não de tecnologia’, diz fundador
Netflix quer produzir cada vez mais, mas vai passar longe do pornô
Netflix testa modo aleatório para quem não consegue decidir o que assistir

Na hora de decidir quanto do orçamento será destinado aos serviços de entretenimento, a consultora explica que vai depender muito de cada caso, mas que, geralmente, esses gastos representam 14% das despesas totais das famílias.

Tem inclusive quem acredite que contratar todos os serviços de streaming pode sair muito mais barato do que pagar a assinatura de uma TV à cabo. Não é bem assim. Na verdade, as duas opções ficam em “empate técnico”, mas não servem para o mesmo objetivo.

Enquanto os pacotes mais completos de operadoras como SKY e NET custam entre R$ 139 e R$ 399, as plataformas de streaming podem chegar a custar juntas R$ 331 com as opções mais completas inclusas. Mas a TV inclui programação ao vivo, jornalismo, esporte e outros conteúdos difíceis de encontrar on demand.

Se a sua ideia é curtir as férias ou se você é um apaixonado por séries, o CNN Brasil Business listou os principais serviços de streaming disponíveis no Brasil para você escolher qual combina melhor com o seu gosto (e com o seu bolso). Ou para você decidir se vai querer tudo isso mesmo.

Netflix
Precursora no mundo do streaming, a Netflix precisou aumentar seu preço ao longo dos anos. Quando chegou ao Brasil, em 2011, a assinatura custava R$ 15. Difícil imaginar isso hoje, não é? 

O plano mais básico da marca sai por R$ 21,90 e o superior, em que o conteúdo é transmitido em HD para até quatro telas simultâneas, custa R$ 45,90. Para quem ainda não assina, uma boa notícia: a plataforma está oferecendo três meses de teste com custo de R$ 0,20 para novos usuários.

Amazon Prime
O valor de R$ 9,90 da assinatura do serviço, após um período gratuito de 30 dias, dá acesso a filmes e séries além de serviços e facilidades da gigante de logística, como entregas gratuitas de livros e outros pedidos comprados pelo site. Críticos argumentam que a empresa baixa forçosamente o valor da mensalidade para construir uma espécie de monopólio.

HBO Go
Quem já conta com o canal no pacote de TV a cabo pode usufruir do serviço de streaming sem pagar nada a mais por isso. Já quem quer apenas acessar a plataforma paga R$ 34,90. A principal vantagem são as séries originais de sucesso mundial, como Game of Thrones e Westworld, que só podem ser vistas aqui.

Globoplay
Os fãs de novela têm acesso a um arquivo infindável de produções da Globo, incluindo minisséries inéditas. Também é possível acompanhar reality shows de grande público, como o Big Brother Brasil (BBB). A mensalidade custa R$ 22,90, depois de uma semana de teste grátis.

Uol Play
Amantes do esporte podem encontrar uma alternativa para a programação televisiva na plataforma de streaming da empresa de mídia, onde ainda é possível assistir séries e filmes. O pacote mais completo, que permite quatro acessos simultâneos custa R$ 64,90, mas, quem assinar neste mês, paga R$ 54,90 por mês pela assinatura.

Telecine Play
Versão on demand do canal de TV a cabo, aqui é possível encontrar lançamentos que acabaram de sair do cinema. O pacote básico do site já não está disponível e a única opção de assinatura, atualmente, custa R$ 37,90.

Disney+
Disponível no Brasil apenas a partir de 17 de novembro, o streaming da gigante das animações traz no catálogo desde clássicos, como Toy Story, até lançamentos recentes, como Moana e os últimos títulos de Star Wars. O preço ainda não foi informado pela companhia, mas o site especializado na cobertura da marca Disney Plus Brasil afirma que a mensalidade deve ser de R$ 28,99 para a estreia.

Looke
Com mostras e festivais de cinema de ficção e documentários no catálogo, como os filmes do É Tudo Verdade, a plataforma oferece alternativas aos títulos hollywoodianos sem deixar de servir lançamentos. Ainda é possível assistir a canais como Arte1 e conteúdos da BBC. O preço para o plano mais completo fica R$ 25,90.

Mubi
A plataforma aposta em títulos “cult” para atrair os cinéfilos de carteirinha. O catálogo é resultado de um garimpo que vai desde clássicos de grandes diretores a “obras-primas modernas”, de acordo com o site. Mas atenção: o sistema aqui é parecido com o do cinema, em que os filmes ficam em cartaz por tempo limitadíssimo. Por mês, custa R$ 27,90.

Crunchyroll
Focado em mídia oriental, o acervo da plataforma inclui filmes, animes e k-dramas — novelas coreanas que viraram febre nos últimos anos. Além disso, oferece música, aos fãs de k-pop ou não, conteúdo de entretenimento em texto e mangás. O plano mais completo sai por R$ 32 ao mês.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook