Fim do home office? Após retomada, 59% das empresas não irão reduzir escritório

Levantamento entrevistou executivos de 158 empresas que empregam entre 100 e 5.000 funcionários e que ocupam lajes de pelo menos 250 metros quadrados

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
21 de outubro de 2020 às 05:00
Avenida Faria Lima, centro financeiro na zona sul de São Paulo (SP)
Foto: Sergio Souza/Unplash

Após uma temporada de testes não previstos de home office em larga escala, boa parte das grandes empresas no Brasil já retornou ou planeja retornar em breve, gradualmente, o trabalho presencial, e apenas uma parcela pequena delas já tem planos concretos de reduzir o tamanho do escritório em relação ao que tinham antes da pandemia. 

É o que mostram os números de uma pesquisa feita pela companhia de imóveis corporativos Cushman & Wakefield. O levantamento entrevistou executivos de 158 empresas que empregam entre 100 e 5.000 funcionários e que ocupam lajes de pelo menos 250 metros quadrados. 

Leia também: 

Facebook, Twitter: veja empresas que podem adotar o home office para sempre

Home office: 9 em cada 10 trabalhadores querem manter trabalho em casa

Os resultados apontam que 59% dos entrevistados não têm intenção de reduzir ou ainda não têm uma definição sobre reduzir o tamanho dos escritórios com que estão acostumados a trabalhar – para 37%, a decisão de manter o mesmo espaço já é definitiva.

Além disso, 84% disseram que já retornaram ao trabalho no escritório ou pretendem voltar ainda este ano, mesmo que de maneira gradual. Por outro lado, o número dos que pretendem fazer adaptações para comportar o espaço compartilhado de maneira adequada às novas necessidades de distanciamento e higiene geradas pela pandemia também é alto: 69% do total. 

As respostas contrastam com um número crescente de empresas, talvez em setores mais específicos como o de tecnologia, que já afirmaram que devem adotar o home office como a prática padrão das jornadas mesmo depois da pandemia. 

Nos Estados Unidos, Facebook, Twitter e Slack estão entre algumas que já declararam que o plano é ampliar o trabalho remoto na rotina de maneira mais definitiva

No Brasil, a XP Investimentos, que ocupa um edifício na avenida Faria Lima no centro financeiro de São Paulo, divulgou ainda em maio que também planejava ampliar o home office para além do período de isolamento e rever a função dos escritórios. A ideia seria transforma-los mais em um espaço de convivência e encontros do que um destino diário para o cumprimento de todas as funções. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook