Em 2020, gasto de brasileiros com viagens internacionais foi o menor em 15 anos

Os efeitos da pandemia no setor de turismo, com fechamento de fronteiras e alta do dólar, levou os brasileiros a gastarem 69,3% menos no setor

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
27 de janeiro de 2021 às 10:08 | Atualizado 27 de janeiro de 2021 às 13:34
Itens de viagem
As viagens internacionais foram interrompidas na pandemia
Foto: Rana Sawalha via UnSplah

Os efeitos da pandemia no setor de turismo, com fechamento de fronteiras e alta do dólar, levou os brasileiros a gastarem 69,3% menos com viagens internacionais em 2020, na comparação com o ano anterior. As despesas de brasileiros no exterior somaram US$ 5,394 bilhões no ano passado, o menor desde 2005. 

Este resultado se encontra na nota de Setor Externo, divulgada pelo Banco Central nesta quarta-feira (27). Vale destacar que além do fechamento de fronteiras e da alta do dólar, a tensão econômica em meio as incertezas sobre a evolução da pandemia e a eficácia das vacinas também contribuiu para o desaquecimento do turismo, especialmente o estrangeiro. 

Somente em dezembro, mês em que mais brasileiros costumam viajar por causa das festas de fim de ano e do período de férias escolares, os gastos no exterior despencaram 75,2%, totalizando US$ 370 milhões. Em 2019, o valor foi de US$ 1,497 bilhão. 

Estrangeiros no Brasil 

Embora com menos impacto, o turismo estrangeiro com destino ao Brasil também sofreu com as crises sanitária e econômica. Os gastos de moradores de fora com viagens para o país recuaram 49,2% no ano passado, ante 2019. As viagens de estrangeiros ao Brasil somaram US$ 3,044 bilhões em receitas. 

Já no último mês do ano, a queda foi de 44,8%, com US$ 295 milhões de receitas estrangeiras, ante US$ 535 milhões no ano anterior. 

Com a queda de ambos, gastos estrangeiros no país e gastos de brasileiros no exterior, o desempenho da conta de serviços de viagens em 2020 melhorou 79,7% na comparação com 2019. Isso porque antigamente os brasileiros gastavam muito mais recursos no exterior do que os estrangeiros no Brasil.

No ano passado, o déficit da conta de viagens foi de US$ 2,350 bilhões. Já no ano anterior, o valor era negativo em US$ 11,599 bilhões. 

Contas externas 

As contas externas do Brasil registraram déficit de US$ 12,517 bilhões em 2020. O valor representa uma melhora significativa em relação ao rombo de US$ 50,697 bilhões no em 2019.  

Por outro lado, o valor é acima do déficit de US$ 7 bilhões esperado pelo Banco Central.

A conta de transações correntes é formada pela balança comercial, pelos serviços adquiridos por brasileiros no exterior e pelas rendas, ou seja, remessas de juros, lucros e dividendos do país para o exterior.

Investimentos 

O Investimentos Direto no País (IDP) somou US$ 34,167 bilhões no ano passado. O valor é próximo dos US$ 36 bi esperados pelo BC. No entanto, é praticamente metade dos US$ 69,174 recebidos em 2019. 

No último mês de 2020 o IDP registrou apenas US$ 739 milhões, ante US$ 2,825 bilhões em dezembro de 2019. 

Além do retorno de investimentos brasileiros no exterior, o IDP é formado por recursos da participação no capital e por empréstimos diretos concedidos à filiais de empresas multinacionais no país.