Fuga de capitais faz dólar passar barreira dos R$ 5,70. O que está acontecendo?

Uma notícia que gerou temor nos mercados nesta terça foi a confirmação do aumento da CSLL, paga pelos bancos para compensar desoneração nos combustíveis

Da CNN, em São Paulo
02 de março de 2021 às 16:11 | Atualizado 02 de março de 2021 às 18:30

O mercado tem reagido negativamente às recentes movimentações do governo para enfrentar a crise econômica decorrente da pandemia de Covid-19. Isso se dá, sobretudo, pela enorme desconfiança em relação às contas públicas. Gastos precisam ser feitos, mas como a conta vai fechar? A analista de Economia da CNN Thaís Herédia explica os pontos que causam esse temor.

A necessidade de mais recursos para a saúde e o auxílio emergencial e a falta de uma contrapartida na votação da PEC Emergencial --além da possível retirada do Bolsa Família do teto de gastos-- aumentam a tensão na equipe econômica.

Outra notícia que gerou temor nos mercados nesta terça-feira, incentivando uma fuga de capitais, foi a confirmação do aumento da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) paga pelas instituições financeiras como forma de compensar uma desoneração nos combustíveis. O anúncio não foi bem recebido entre os investidores.

 

Ministro da Economia, Paulo Guedes, fala sobre o projeto de autonomia do Banco C
O Ministro da Economia, Paulo Guedes (08.fev.2021)
Foto: CNN Brasil

Sobre a falta de contrapartidas e o possível desrespeito ao teto de gastos, o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, disse à CNN que espera que o Congresso leve em consideração que uma medida como essa pode ter consequências muito ruins, pois tira o objetivo da PEC Emergencial, que é abrir espaço para um gasto extraordinário trazendo compensações. Isso faz com que o mercado reaja mal.

O dólar passou de R$ 5,70 nesta terça-feira (2), obrigando o Banco Central a vender US$ 1 bilhão à vista das reservas internacionais.

Esse montante serve para esse fim, mas, como explica Thais Heredia, assim como o seguro de um carro, não dá para ficar acionando o serviço o tempo todo. "O ideal é que a reserva seja usada em momentos em que o dólar suba muito por uma questão global que esteja fora do controle do governo. Agora, quando a gente provoca isso, e fica acionando o tempo todo o seguro, claro que sai mais caro".

Além disso, Heredia cita que, para economistas, houve uma resistência muito grande de Paulo Guedes e sua equipe de preparar um plano de transição de 2020 para 2021, fazendo com que as medidas tenham um caráter emergencial e não planejado.