Black Friday: receita com vendas sobe 6% em 2021, mas volume de compras não muda

Comparação com 2020 mostra que o valor médio que está sendo gasto pelos consumidores também subiu

Gasto médio dos consumidores até o momento é de R$ 699,16
Gasto médio dos consumidores até o momento é de R$ 699,16 ElisaRiva/Pixabay

João Pedro MalarCleber Souzado CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

O faturamento total do e-commerce entre a meia-noite da quinta-feira (25) e as 16h desta sexta-feira (26), data da Black Friday, subiu 6% na comparação com o mesmo período de 2020. O valor é de R$ 4,18 bilhões.

Os dados são de um levantamento da empresa Neotrust, que também aponta que a quantidade de pedidos se manteve igual à de 2020. Com isso, a alta no rendimento vem de um ticket, valor gasto, médio 5% maior que o do ano anterior, de R$ 713,52.

Na comparação hora a hora, os picos de pedidos e faturamento ocorreram entre as 10h e as 10h59 desta sexta-feira, totalizando 308 mil e R$ 242,7 milhões, respectivamente.

O levantamento também aponta que 57% dos participantes da Black Friday no Brasil são mulheres, ante 43% de homens. Considerando faixas etárias, os adultos entre 26 e 35 anos são os que mais participam (34.95%), já os com mais de 51 anos têm a menor participação (14,46%).

A região Sudeste concentra o maior número de pedidos e de faturamento, correspondendo a 56.72% da receita total do e-commerce. Ela é seguida pelo Nordeste (17,88%), Sul (15,19%), Centro-Oeste (7,45%) e Norte (2,76%).

Apesar do Sudeste ainda dominar a parcela de pedidos, com 61%, o número total é 2% menor que em 2020. A maior alta percentual no número de pedidos é no Norte, de 11%.

Já as cinco categorias mais compradas são, respectivamente, moda e acessórios, beleza e perfumaria, telefonia, eletroportáteis e eletrodomésticos.

Outro levantamento, da plataforma de e-commerce NuvemShop, aponta que as pequenas e médias empresas (PMEs) do setor movimentaram R$ 10,8 milhões nas primeiras 12 horas da Black Friday, alta de 13% ante 2020.

O ticket médio das PMEs do e-commerce também subiu, indo de R$ 217 para R$ 246. Até o momento, o pico de vendas foi às 10h, com 267 produtos vendidos por minuto. As categorias mais vendidas são moda, brinquedos, eletrônicos, saúde e beleza e casa e jardim. Outra novidade é que 9% das vendas foram pagas via Pix, ante 3% via boleto.

Mais Recentes da CNN