5G: onze empresas levam lotes da faixa 26 GHz; veja como foi o 2º dia do leilão

Lotes de hoje são associados à obrigação de levar internet às escolas

Anna Russida CNNLigia Tuondo CNN Brasil Business

Ouvir notícia

Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) finalizou ao leilão do 5G nesta sexta-feira (5).

O certame desta quinta envolveu direito de uso da faixa de 26 GHz, exclusiva para o 5G, e que oferece menor tempo de resposta pela maior capacidade de transmissão.

As companhias terão a obrigação de levar internet às escolas.

Ontem, o superintendente de competição da Anatel e presidente da comissão do 5G, Abraão Balbino e Silva, disse que a expectativa para hoje é de R$ 800 milhões em outorga.

O valor é significativamente menor que os R$ 7 bilhões movimentados na primeira parte do leilão, segundo ele, devido ao menor potencial de exploração da faixa de 26 GHz.

Até agora, Vivo, Claro, TIM, Algar Telecom, Fly Likn e Neko Serviços de Comunicações, Entretenimento e Educação levaram lotes. Essas duas últimas integram o grupo de seis novas operadoras de telecomunicações no país.

Confira os vencedores de cada lote:

  • Lotes G1 e G2 (nacionais): Claro, com R$ 52,825 milhões cada
  • Lotes G3, G4 e G5 (nacionais): Telefônica Brasil S.A/Vivo, por R$ 52,824 milhões cada
  • Lotes G06 a G10: não tiveram operadoras aptas a participar do certame, de acordo com as regras do edital
  • Lotes H01 a H18: receberam garantia de preço da Telefônica Brasil/Vivo, mas não receberam propostas
  • Lote H19 (região Sul): arrematado pela TIM SA, por R$ 8 milhões
  • Lotes H20 a H24: receberam garantia de preço da TIM e da Telefônica Brasil/Vivo, mas não receberam propostas de preço
  • Lote H25 (estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais): arrematados pela TIM, por R$ 11 milhões
  • Lotes de H26 a H31: não houve propostas de preço
  • Lote H31 (estado de São Paulo): arrematado pela TIM, por R$ 12 milhões
  • Lote H37 (setores 3, 22, 25 e 33 do PGO): arrematado pela Algar Telecom, por R$ 935 mil
  • Lote H38 (Setores 3, 22, 25 e 33 do PGO): Algar Telecom, por R$ 935 mil
  • Lote H39 (Setores 3, 22, 25 e 33 do PGO): Algar Telecom, por R$ 1,037 milhão
  • Lote H40 (Setores 3, 22, 25 e 33 do PGO): Algar Telecom, por R$ 1,037 milhão
  • Lote H41 (Setores 3, 22, 25 e 33 do PGO): Algar Telecom, por R$ 1,399 milhão
  • Lote H42(Setores 3, 22, 25 e 33 do PGO): Fly Link LTDA., por R$ 900 mil
  • Lote I06 (nacional): TIM, por R$ 27 milhões.
  • Lotes I7 A I10: Não houve interessados
  • Lote J19 não pôde ser aberto por regras do edital

Confira as empresas que levaram os lotes:

Claro SA
Telefônica Brasil S.A./Vivo
TIM S.A.
Algar Telecom S.A.
Sercomtel Telecomunicações S.A.

Novos operadores:

Fly Link LTDA
Neko Serviços de Comunicações, Entretenimento e Educação LTDA
Brisanet Serviços de Telecomunicações S.A.
Cloud2U Indústria e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA
Winity II Telecom LTDA
Consórcio 5G Sul

Resultado do primeiro dia

Ao longo da quinta-feira (4), foram 24 lotes arrematados, movimentando quase R$ 7 bilhões em outorgas.

Esse montante é o cobrado apenas pelo direito de exploração das faixas. Além disso, os vencedores do leilão terão que investir nas redes e na infraestrutura do setor de telecomunicação brasileiro.

Exemplos desses investimentos são a garantia de internet 4G nas rodovias brasileiras e em municípios e localidades ainda sem rede. A instalação da rede de fibra óptica, via fluvial, na região amazônica. E ainda a garantia de internet móvel de qualidade nas escolas públicas de educação básica.

A expectativa, segundo a Anatel e o governo, é de que quase R$ 50 bilhões sejam arrecadados ao final do leilão. Desse total, R$ 40 bilhões serão destinados para investimentos na conectividade digital e R$ 10 bilhões serão para o Tesouro.

Nesta quinta foram leiloados apenas os lotes e blocos das faixas de 700 MHz, 3,5 GHz e 2,3 GHz.

Com exceção da faixa de 700 MHz, todos os lotes para prestação do serviço de 5G em área nacional foram arrematados por uma das três maiores operadoras participantes do certame: Vivo, Tim ou Claro.

No total, já são quatro novos operadores de telecomunicação que ainda não ofereciam serviço móvel no Brasil. São eles: Winity II Telecom, Brisanet Serviços de Telecomunicações S.A., Cloud2U Indústria e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA e o Consórcio 5G Sul.

Confira os lotes leiloados na quinta:

Bloco de 10 MHz + 10 MHz na faixa 700 MHz

  • Lote A01 (nacional): Winity II Telecom LTDA, por R$ 1,427 bilhões

Blocos de 80 MHz na faixa de 3,5 GHz

  • Lote B01 (nacional): Claro SA, com R$ 338 milhões
  • Lote B02 (nacional): Telefônica Brasil S.A./Vivo, com R$ 420 milhões
  • Lote B03 (nacional): Tim S.A., com R$ 351 milhões
  • Lote C02 (região norte e São Paulo): Sercomtel Telecomunicações S.A., com R$ 82 milhões
  • Lote C 04 (Região Nordeste): Brisanet Serviços de Telecomunicações S.A, por R$: 1,250 bilhão
  • Lote C 05 (Região Centro Oeste): Brisanet Serviços de Telecomunicações S.A., por R$ 105 milhões
  • Lote C06 (Região Sul): Consórcio 5G Sul, por R$ 73,600 milhões
  • Lote C07 (Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais): Cloud2U Indústria e Comércio de Equipamentos Eletrônicos LTDA, por R$ 405,1 milhões
  • Lote C08 (setores 3,22,25 e 33): Algar Telecom S.A., por R$ 2,350 milhões

*Com informações de Juliana Lopes, da CNN Brasil

Mais Recentes da CNN