Rio adia Carnaval de rua até disponibilização de vacina contra Covid-19

Organizadores decidiram em reunião que "não há condições de evento ser realizado" sem um imunizante

Reuters
29 de outubro de 2020 às 18:25
Desfile do bloco Carmelitas durante Carnaval do Rio de Janeiro
Foto: Pilar Olivares/Reuters (1º.mar.2019)


O tradicional Carnaval de rua do Rio de Janeiro foi adiado por tempo indeterminado, anunciaram os organizadores da festa, que disseram considerar que não há condições de o evento ser realizado sem uma vacina disponível contra a Covid-19.

A decisão foi tomada em reunião virtual realizada nesta semana entre representantes dos blocos que desfilam pelas ruas da cidade, atraindo milhões de foliões.

Leia também:

Réveillon no Rio terá seis palcos de shows na orla, mas sem público

Escolas de samba discutem novo formato para o Carnaval do Rio de Janeiro

Carnaval em julho de 2021 seria inviável, diz presidente da Riotur

O desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí já havia sido adiado por conta da pandemia e também não tem data prevista para ocorrer em 2021.

“Como os representantes de blocos de rua já anunciaram que não haverá desfiles sem vacina, nosso posicionamento permanece: sem a vacina, não é possível termos o Carnaval de rua", disse o presidente da empresa de turismo do município, a Riotur, Fabrício Villa Flor.

"Essa é uma posição muito responsável dos blocos, e eu os parabenizo por isso. Agora, resta esperarmos pela vacina para sabermos se teremos o Carnaval de rua em 2021 ou se só teremos condições de fazer para 2022”, acrescentou.

O Carnaval de rua do Rio reúne cerca de 500 blocos e milhões de pessoas nas ruas e avenidas da cidade a cada ano.