Organização da Tóquio 2020 quer evitar quarentena para atletas e funcionários

Objetivo é fazer com que atletas e colaboradores possam treinar e trabalhar na preparação do evento, que será realizado entre julho e agosto de 2021 

Da CNN
12 de novembro de 2020 às 11:00 | Atualizado 12 de novembro de 2020 às 11:03
Olimpíada de Tóquio será realizada entre julho e agosto de 2021
Foto: Denis Balibouse - 24.mar.2020/ Reuters

A organização da Olimpíada de Tóquio 2020 está trabalhando com o governo do Japão para garantir que atletas e funcionários não precisem ficar 14 dias em quarentena quando chegarem ao país para os jogos. A informação foi dada por Toshiro Muto, CEO do evento, em uma entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (12). 

O objetivo é fazer com que atletas e colaboradores possam treinar e trabalhar na preparação da Olimpíada, que será realizada entre julho e agosto de 2021. 

Assista e leia também:
Presidente do COI diz que Olimpíada não pode ser "feira para manifestações"
Organizadores das Olimpíadas anunciam proposta para simplificar Jogos de Tóquio
Olimpíada de Tóquio em 2021 será aberta por disputa de softbol

Os atletas provavelmente ainda vão precisar seguir medidas de prevenção, como passar por testes de diagnóstico de Covid-19 antes de poderem viajar ao Japão, e fornecer um roteiro de atividades aos organizadores do evento. 

A Tóquio 2020 e o governo do Japão também esperam implementar protocolos de prevenção para dispensar espectadores estrangeiros da quarentena de 14 dias na chegada ao país. A justificativa é que é “impossível” impor regras de auto isolamento aos visitantes. 

Os organizadores anunciaram ainda que o número máximo de pessoas permitidas nas instalações olímpicas ainda será decidido. Ele vai depender das taxas de infecção de Covid-19 no Japão e no mundo. 

(Com informações de Yoko Wakatsuki, da CNN, em Tóquio)