Jogadores da NBA discutem racismo e justiça social com o Papa Francisco

Temporada da liga americana de basquete foi marcada por protestos contra a desigualdade racial

Rory Carroll, da Reuters
23 de novembro de 2020 às 22:26
Jogadores da NBA e o Papa Francisco discutem racismo
Papa Francisco se reúne com jogadores da NBA - 23/11/2020
Foto: Mídia Vaticano/Divulgação via REUTERS

Cinco jogadores da NBA se reuniram com o Papa Francisco no Vaticano nesta segunda-feira para discutir questões de Justiça social após uma temporada na qual o tema da desigualdade racial foi dominante.

Os jogadores que se encontraram com o Papa foram Anthony Tolliver, Kyle Korver, Sterling Brown, Jonathan Isaac e Marco Belinelli, e também participou da reunião a diretora executiva da Associação Nacional de Jogadores de Basquetebol (NBPA, na sigla em inglês), Michele Roberts.

"O encontro de hoje foi uma experiência incrível", disse Tolliver, que joga como ala-pivô do Memphis Grizzlies, segundo um release da NBPA.

"Com o apoio e a benção do Papa, estamos empolgados para chegar à próxima temporada revigorados para nos mantermos lutando por mudanças e aproximando nossas comunidades".

Um vídeo da reunião mostrou os jogadores presenteando o Papa com presentes, incluindo uma camisa da equipe do Orlando Magic.

Roberts disse que a reunião valida o poder das vozes dos jogadores.

Assista e leia também:

PM de Porto Alegre abre processo para demitir envolvido na morte de João Alberto
Iuri Pitta: Não basta legislação dura contra racismo se o crime não for punido
Lia Bock: O problema do racismo estrutural no Brasil

"Que um dos líderes mais influentes do mundo tenha buscado conversar com eles demonstra a influência de suas plataformas", disse Roberts. "Eu continuo inspirada pelo comprometimento dos nossos jogadores para servir e apoiar a nossa comunidade".

A liga norte-americana de basquete e seus jogadores passaram a pedir mais intensamente por reformas sistemáticas após a morte de George Floyd, um homem negro que foi assassinado sob custódia policial na cidade de Mineápolis. O episódio aconteceu em maio e foi capturado em vídeo.