Detecção de Covid-19 em venezuelanos não enfraquece a Copa América, diz Queiroga

Ministro da Saúde afirma que governo federal tem monitorado estado de saúde dos 12 integrantes da delegação esportiva e que o episódio não enfraquece o evento

Gustavo Uribe
Por Gustavo Uribe, CNN  
12 de junho de 2021 às 13:07 | Atualizado 12 de junho de 2021 às 13:36
Venezuela contra a Bolívia, em La Paz
Jogador da seleção da Venezuela durante partida contra a Bolívia, em La Paz
Foto: Reprodução/FVF

 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse neste sábado (12) à CNN que o governo federal tem monitorado o estado de saúde dos doze integrantes da delegação esportiva da Venezuela que foram detectados com o coronavírus.

Na avaliação dele, o episódio não enfraquece a realização da Copa América no Brasil e comprova que o protocolo de saúde, anunciado nesta semana pelo Ministério da Saúde, funciona.

A pasta vai promover uma entrevista à imprensa ainda neste sábado (12) para informar detalhes sobre os procedimentos adotados em relação à delegação venezuelana.

 "Não enfraquece [a competição esportiva]. Os testes são para detecção dos casos positivos. É um sinal de que o protocolo funciona", afirmou o ministro.

Segundo o secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, do total de infectados, cinco são atletas e o restante, dirigentes. Os testes de PCR foram realizados pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol).

O resultado foi informado às autoridades brasileiras na noite de sexta-feira (11) e todos estão assintomáticos.

Para o secretário, de acordo com as informações oficiais até aqui, tudo indica que os membros da seleção venezuelana teriam chegado ao Brasil já infectados, apesar de não demonstrarem sintomas. "Não dá para dizer onde foram infectados. Mas pelo período de permanência aqui, devem ter vindo do último país que estiveram já com a doença".

A Conmebol foi procurada, mas ainda não se manifestou até a publicação deste texto.