Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Augusto Melo diz não temer impeachment no Corinthians: “Não tem motivo”

    Presidente corintiano concedeu entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (10)

    Augusto Melo rechaçou a possibilidade de sofrer impeachment no Corinthians
    Augusto Melo rechaçou a possibilidade de sofrer impeachment no Corinthians Divulgação/Corinthians

    Raul Mourada CNN

    Em entrevista coletiva concedida na manhã desta segunda-feira (10), o presidente do Corinthians, Augusto Melo, falou sobre a possibilidade de sofrer impeachment.

    De forma contundente, o mandatário corintiano diz não temer a chance de ser retirado do cargo. Além disso, o dirigente disse que a ação poderia ser considerada um “golpe” da oposição.

    “Não tem motivo para isso [impeachment]. Nem penso nisso. Golpe ninguém vai dar. Fui eleito pelo voto popular do sócio, muito bem votado após uma dinastia de 16 anos que ninguém aguentava mais”, disse Augusto Melo.

    “Não vamos decepcionar. Erro, sim, mas cabe a nós termos humildade para corrigir”, continuou o presidente corintiano.

    Conforme adiantado pela CNN Brasil, a oposição do Corinthians começa a pavimentar um caminho político para um possível impeachment.

    Mesmo com pouco tempo à frente do clube, Augusto Melo viu a sua base aliada deixar a base do governo. O presidente assistiu a seu diretor jurídico Yun Ki Lee, o diretor financeiro Rozallah Santoro e o diretor-adjunto de futebol Fernando Alba saírem de seus cargos por conta de polêmicas dentro e fora de campo, em especial sobre o caso do “laranja” da VaideBet.

    Por conta disso, já existe em grupos de oposição, mesmo que de forma embrionária, a construção de um clima político visando um possível impeachment de Augusto Melo.

    Uma das justificativas estaria, inclusive, no Artigo 106 – Inciso B, do estatuto do clube , que diz que “acarretado, por ação ou omissão, prejuízo considerável ao patrimônio ou à imagem do Corinthians” é um motivo “para requerer a destituição dos administradores (Presidente da Diretoria ou de seus Vice-Presidentes)”.

    Os opositores entendem que o presidente foi responsável direto para o clube ter perdido o patrocínio com a casa de apostas.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas