Covid-19 já matou mais de 2 milhões de pessoas no mundo, diz Johns Hopkins

Universidade americana contabiliza 93,4 milhões de casos confirmados da doença do novo coronavírus

Ludmila Candal e Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
15 de janeiro de 2021 às 14:56 | Atualizado 15 de janeiro de 2021 às 15:34

 

A pandemia do novo coronavírus já matou mais de 2 milhões de pessoas no mundo, informa nesta sexta-feira (15) a Universidade Johns Hopkins (JHU), instituição de ensino e pesquisa dos Estados Unidos que se dedica ao monitoramento da Covid-19.

Segundo a JHU, o total de vítimas fatais da doença do novo coronavírus é de 2.000.905 pessoas em todo o mundo. O Brasil é o segundo país com mais mortos, o equivalente a 207.095. A nação com mais vítimas fatais da pandemia são os Estados Unidos, com 389.581 mortos.

A universidade contabiliza um total de 93.418.283 casos confirmados da doença em todo o mundo. Neste quesito, o Brasil é a terceira nação com mais registros, 8,3 milhões. Os EUA registram 23,3 milhões de casos e a Índia, 10,5 milhões.

O estado da Califórnia, nos Estados Unidos, e a Inglaterra, parte do Reino Unido, são as duas regiões subnacionais com mais casos, ambas com 2,8 milhões cada. Outro estado americano, o Texas, aparece em terceiro na lista (2,06 milhões de casos), seguido pelo estado indiano de Maharashtra (1,9 milhões).

O estado de São Paulo é a quinta região com mais casos, com 1,5 milhão de casos confirmados.

Segundo painel da Universidade Johns Hopkins, nessa sexta (15), as mortes por coronavírus no Brasil e nos Estados Unidos, juntas, representam cerca de 30% do total de vítimas da doença no mundo.