Voo para a Índia corre risco de não decolar nesta 6ª e atrasar chegada da vacina

Ministros do alto escalão trabalham com nova previsão de desembarque do carregamento no país: terça-feira (19)

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
15 de janeiro de 2021 às 14:27 | Atualizado 15 de janeiro de 2021 às 15:27

 

Integrantes do governo Jair Bolsonaro admitem, nos bastidores, grande possibilidade do voo fretado pelo Ministério da Saúde para buscar 2 milhões de doses da vacina de Oxford na Índia ser adiado de novo e não sair do Brasil nesta sexta-feira (15).

Ministros do alto escalão trabalham com nova previsão de desembarque do carregamento no país: terça-feira (19). Eles afirmam, no entanto, que a data do início da vacinação no país será mantida para a semana que vem. 

Como a CNN mostrou nesta quinta (14), o governo indiano pediu o adiamento da entrega das vacinas ao Brasil porque a Índia pretende iniciar sua campanha de vacinação no sábado (16). O relato passado ao governo brasileiro é o de que, se o avião partisse daquele país antes do início da imunização por lá, seria instalada uma crise política. 

Com a nova mudança, integrantes do governo Bolsonaro têm trabalhado para que o avião saia do Brasil neste sábado (16) e esteja de volta com a carga da vacina estimada em 15 toneladas até terça (19).

O adiamento ainda não foi confirmado pelo Ministério da Saúde. De acordo com a pasta, está mantida a programação para que aeronave da Azul deixe o solo brasileiro nesta sexta-feira (15), às 23h. 

Segundo relatos feitos à CNN, além do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o próprio presidente Jair Bolsonaro fez contato com autoridades indianas para resolver o impasse. 

A imprensa indiana noticiou, nesta quinta-feira (14), que o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, disse que "é muito cedo" para dar respostas sobre exportações das vacinas produzidas no país, uma vez que a campanha nacional de imunização ainda está só começando.

A notícia gerou insegurança sobre a entrega das doses da vacina de Oxford ao Brasil.