Encontro de 6 esqueletos de naufrágio dá pistas sobre capitão pirata lendário

Uma tomografia mostra os restos mortais encontrados dentro de concreções perto de Cape Cod

Maria Morava e Scottie Andrew, da CNN
13 de fevereiro de 2021 às 19:04 | Atualizado 13 de fevereiro de 2021 às 19:58
esqueletos navio pirata eua
Foto: Whydah Pirate Museum

Para os piratas do século 18 tesouro significava ouro. Já para os investigadores do Museu do Pirata de Whydah, em Cape Cod, nos Estados Unidos, um tesouro pode ser um conjunto de grandes pedras – desde que as rochas tenham esqueletos como “recheio”.

O museu anunciou nesta semana que sua equipe investigativa encontrou várias formações de concreto na costa de Massachusetts contendo seis esqueletos.

Alguns dos restos mortais podem pertencer ao capitão do único naufrágio pirata verificado do mundo, o Whydah, que afundou em 1717.

Exames nos esqueletos

As concreções (massas compactadas de matéria) estão sendo examinadas pelo explorador subaquático Barry Clifford e sua equipe de arqueólogos, de acordo com o comunicado, obtido pela afiliada da CNN WBZ. 

Clifford descobriu a embarcação Whydah Gally em 1984, tornando-o o descobridor do único naufrágio pirata autenticado do mundo.

A equipe espera que os esqueletos levem a identificações de piratas, e talvez a descendentes vivos.

Será Sam Bellamy?

A lenda do capitão do Whydah, o pirata Samuel “Black Sam” Bellamy, inclui uma trágica história de amor.

Segundo a lenda, Bellamy estava navegando de volta para sua amante quando uma tempestade virou seu navio, deixando apenas dois sobreviventes, de acordo com o site do museu.

Em 2018, um membro da equipe investigativa do museu Whydah, Casey Sherman, obteve o DNA de Bellamy através de um descendente do pirata na Inglaterra e o comparou com o DNA de um osso encontrado no local do naufrágio.

“O osso foi identificado como um homem com laços gerais com a área do Mediterrâneo Oriental”, escreveu Sherman no comunicado.

Agora, com o DNA da família de Bellamy, Sherman disse que os novos restos mortais podem finalmente levar ao próprio capitão.

Itens encontrados em um naufrágio perto de Cape Cod
Foto: Whydah Pirate Museum

Única prova dos piratas

Com milhares de artefatos do Whydah, o Museu do Pirata de Whydah é uma visão material da vida dos piratas, as frotas secretas de homens que navegaram pelos mares nos séculos 17 e 18.
Os artefatos apontam para uma cultura pirata que pode surpreender alguns, já que incluía igualitarismo, tolerância racial e democracia, segundo o site do museu.

“... o lendário Samuel ‘Black Sam’ Bellamy e sua equipe estavam fazendo experiências com a democracia muito antes de as chamadas sociedades civilizadas considerarem tal coisa”, disse Clifford.

Os objetos do museu representam mais de uma dúzia de países em quatro continentes, mas os esqueletos podem contar novas histórias sobre os homens que fizeram do galeão a sua casa.

As concreções contendo os restos mortais estão agora em exibição no Museu do Pirata de Whydah, em West Yarmouth.

Connor Spielmaker, da CNN, contribuiu para esta reportagem.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).