Japão inicia vacinação contra Covid-19 na 'primeira etapa’ para a Olimpíada

De olho na realização dos Jogos, governo pretende garantir vacinas suficientes para toda a sua população de 126 milhões até meados de 2021

Reuters
17 de fevereiro de 2021 às 13:38 | Atualizado 17 de fevereiro de 2021 às 18:49

O Japão lançou sua campanha de vacinação contra a Covid-19 nesta quarta-feira (17), administrando a vacina Pfizer-BionTech aos funcionários do hospital de Tóquio, enquanto o primeiro-ministro Yoshihide Suga tenta vencer as adversidades para o país sediar as Olimpíadas.

Os funcionários do Tokyo Medical Center estavam entre os primeiros de cerca de 40.000 profissionais médicos que receberiam as remessas iniciais da vacina. Eles serão seguidos por mais 3,7 milhões de pessoal médico. Depois, será a vez de 36 milhões de pessoas com 65 anos ou mais.

Profissional de saúde recebe dose da vacina contra Covid-19 em Tóquio
Foto: Behrouz Mehri/Reuters

"Este é o primeiro grande passo para acabar com o coronavírus (pandemia)", disse o vice-ministro da Saúde, Hiroshi Yamamoto, a repórteres no hospital, depois que as primeiras vacinas foram administradas.

Suga disse que a implantação da vacina será crítica para a realização de uma Olimpíada de sucesso, atrasada em relação ao ano passado e com início previsto para o final de julho.

O governo pretende garantir vacinas suficientes para toda a sua população de 126 milhões até meados de 2021. Uma implantação completa pode levar um ano, disse o chefe do programa de vacinação, Taro Kono, na terça-feira (16).

Também há temores de que milhões de doses da vacina Pfizer-Biontech possam ser desperdiçadas devido à falta de seringas necessárias para maximizar o número de injeções de cada frasco.

O Tokyo Medical Center disse que tem suprimento suficiente por enquanto das seringas de baixo espaço morto necessárias para extrair seis doses de cada frasco. Ele planeja inocular 60 pessoas por dia a partir de quinta-feira (18) para minimizar a quantidade de vacina que pode ir para o lixo e monitorar as pessoas que recebem uma dose.

O diretor do hospital, Kazuhiro Araki, disse que queria dar o exemplo para os outros recebendo a primeira injeção.

"Não gosto muito de receber fotos", disse Araki aos repórteres. "Estou feliz que não doeu. Me sinto aliviado."

O Japão assinou contratos para adquirir um total combinado de 314 milhões de doses de vacina da Pfizer Inc e BionTech, AstraZeneca Plc e Moderna Inc - o suficiente para 157 milhões de pessoas.

O Japão registrou até agora cerca de 415.000 casos de Covid-19, incluindo 7.013 mortes.

Embora os casos diários tenham diminuído nas últimas semanas após o pico no início de janeiro, Tóquio e outras nove prefeituras permanecem em estado de emergência para evitar uma maior disseminação da doença.

O Japão é o último membro do Grupo dos Sete países industrializados a lançar uma campanha de vacinação. O governo planeja vacinar primeiro os profissionais de saúde, depois os idosos, aqueles com problemas de saúde e os trabalhadores em instituições de cuidados a idosos.