Em dia histórico, Espanha remove última estátua do ditador Franco

Monumento em Melilla era o único dedicado a um ditador ainda na esfera pública na Europa

Reuters
24 de fevereiro de 2021 às 09:20 | Atualizado 24 de fevereiro de 2021 às 09:27
Estátua do ex-ditador espanhol Francisco Franco é retirada em Melilla
Estátua do ex-ditador espanhol Francisco Franco é retirada em Melilla
Foto: Jesus Blasco de Avellaneda/Reuters

A última estátua do ex-ditador espanhol Francisco Franco foi removida nessa terça-feira (23) dos portões da cidade de Melilla, uma região autônoma espanhola na costa noroeste da África.

A diretora de educação e cultura de Melilla, Elena Fernandez Trevino, saudou a decisão como "histórica", depois que legisladores regionais votaram para derrubar a estátua, apontando que era "a única estátua dedicada a um ditador ainda na esfera pública na Europa."

A estátua, erguida três anos após a morte de Franco, em 1978, comemorava seu papel como comandante da Legião Espanhola na Guerra do Rif, um conflito travado na década de 1920 pela Espanha e pela França contra as tribos berberes da região montanhosa de Rif do Marrocos.

Sem muito alarde, um grupo de operários operou uma escavadeira mecânica e brocas pesadas para cavar a plataforma de tijolos em que a estátua estava e, em seguida, carregou-a em um caminhão.

Apenas um parlamentar, do partido de extrema direita Vox, votou contra a medida, argumentando que porque a estátua celebrava o papel militar de Franco e não sua ditadura, a Lei da Memória Histórica, um estatuto de 2007 que pede a remoção de todas as estátuas e nomes de lugares ligado ao regime de Francos, não deve ser aplicável.

O governo espanhol fez várias remoções e medidas consubstanciados pela lei, incluindo tomar o palácio de verão do ex-ditador de seus herdeiros em setembro passado.