Ratos migram em massa para as áreas residenciais durante o lockdown em Londres

Com o fechamento da cidade, os ratos saíram do centro, onde encontravam alimento em abundância, e estão aparecendo em massa nos jardins e quintais das casas

Nina dos Santos e Lauren Kent, da CNN
25 de fevereiro de 2021 às 09:23
Ratos invadem residências em busca de alimentos em Londres
Ratos invadem residências em busca de alimentos em Londres
Foto: CNN

É pouco antes do amanhecer em Richmond, na margem sul do rio Tâmisa, e o controlador de pragas Michael Coates está vasculhando as latas de lixo em busca do que normalmente é um inimigo esquivo, ratos.

"Tem algo aqui, com certeza", diz ele, chutando um recipiente de lixo transbordando. "Os ratos são como pequenas máquinas de sobrevivência, onde quer que você dê acesso seguro ao desperdício de comida, eles continuarão frequentando."

Os ratos se tornam cada vez mais visível em Londres quanto mais tempo dura o confinamento na Inglaterra.

Além do mais, os animais estão se movimentando pela cidade.

Os controladores de pragas dizem que, como muitos restaurantes e prédios de escritórios no movimentado centro da cidade de Londres permanecem vazios, os ratos são forçados a migrar para áreas residenciais em busca de comida.

As famílias que passam mais tempo em casa - e ali fazem todas as suas refeições - têm produzido mais lixo, e isso está atraindo ratos para habitações suburbanas. Enquanto isso, os comedouros para pássaros, que são sempre abastecidos durante o inverno, estão atraindo os roedores, que se entocam nos quintais.

Exterminadores dizem que os ratos estão migrando para áreas residenciais em busca de comida durante o confinamento.

“Tivemos o caso de uma senhora que costumava alimentar seus amados pássaros”, disse Coates à CNN. “Quando ela nos ligou, havia cerca de 10 a 15 ratos cavando em volta dos canteiros de flores”, acrescenta.

Paul Claydon, outro exterminador que atua na orla da Floresta Epping, no leste da capital, já viu coisas piores. Ele diz que, recentemente, matou uma colônia que tentava violar uma gaiola para comer um animal de estimação desavisado.

"Pode ser que estejamos vendo e ouvindo os ratos com mais frequência, trabalhando em casa, no escritório sob o sótão... Mas acho que Londres pode ter uma grande surpresa quando for reaberta", diz Claydon. "Especialmente se as empresas e propriedades que tiveram problemas não mantiveram seus planos de controle de pragas."

Coates e Claydon deixaram longas carreiras em outras áreas para abrir pequenas empresas no que se tornou um setor em expansão.

Ratos invadem residências em busca de alimentos em Londres
Ratos invadem residências em busca de alimentos em Londres
Foto: CNN

Coates, um veterano da Guerra do Iraque, fundou sua unidade há cinco anos e, desde então, escreveu um e-book chamado “Guerra e Peste: de Basra aos percevejos”.

Claydon passou 25 anos trabalhando com tecnologia da informação em uma empresa de serviços financeiros antes de abrir seu negócio, há dois anos. “Eu queria algo que fosse à prova de recessão, e tenho estado constantemente ocupado”, diz ele.

Claydon diz que normalmente recebe cerca de 10 chamados por semana para combater roedores, mas, durante o bloqueio, tem sido "facilmente, mais de 20".

Controle

A Associação Britânica de Controle de Pragas (BPCA), que representa 700 combatentes de pragas em todo o país, disse que seus membros relataram um aumento de 51% na atividade de roedores durante o primeiro lockdown, na primavera de 2020, e um aumento de 78% em novembro, após outro fechamento.

Eles ainda não calcularam os números para este ano, mas disseram à CNN que o encontro com animais desse tipo aumentou, o que representa um problema de saúde pública que muitos moradores têm que resolver por conta própria.

"Podemos ver ratos agora onde normalmente não veríamos, porque eles estão muito desesperados", disse Natalie Bungay, do BPCA. "Os ratos podem mastigar substâncias muito duras, como metais macios e tijolos."

Quando se trata de controlar ratos, Londres não parece ter um plano abrangente.

A prefeitura de Londres disse à CNN que o Conselho de Londres, que reúne representantes dos 32 distritos da região da Grande Londres, está em melhor posição para responder sobre o assunto. O gabinete do prefeito diz que não coleta dados sobre isso porque é o trabalho de cada um dos 32 distritos.

Um porta-voz do distrito de Richmond upon Thames, no entanto, disse à CNN que não coleta dados sobre ratos e não oferece serviços de controle de pragas.

Em 2017, depois que um vídeo de ratos saindo de um canteiro de flores em Harrow viralizou, os conservadores na Assembleia da Grande Londres (GLA) encomendaram um relatório e descobriram que mais de 100 reclamações eram registradas nos conselhos todos os dias.

Chamada de "Terra dos Ratos", o relatório alertava que o distrito de Harrow deveria controlar seu problema com roedores antes que as notícias ruins começassem a prejudicar a imagem do local, como aconteceu em Paris depois que surgiram vídeos de "super ratos" em parques públicos próximos ao Louvre.

Ninguém sabe ao certo quantos ratos existem em Londres, embora algumas pesquisas privadas de exterminadores afirmem que a população de roedores desse tipo pode chegar a 20 milhões. É provável que haja mais deles do que os nove milhões de habitantes humanos da cidade, cujo crescimento populacional está diminuindo, de acordo com o Escritório de Estatísticas Nacionais.

Os ratos, entretanto, continuam a se multiplicar rapidamente. Pesquisa da empresa de controle de pragas Rentokil, citada no relatório GLA, afirmou que apenas um casal reprodutor de ratos pode levar ao nascimento de cerca de 1.250 por ano.

O tamanho dos ratos também está aumentando. Claydon afirma que não é incomum para ele pegar um rato medindo até 40 centímetros. Muitos, diz ele, requerem armadilhas mais fortes e mais veneno para matar.

Bungay, da Associação Britânica de Controle de Pragas, diz que o melhor remédio é a prevenção. Isso significa vedar qualquer resíduo de comida fora de casa em recipientes de lixo apropriados, manter os alimentos trancados dentro de casa e verificar se todas as saídas de ar estão protegidas com tela de aço e se as rachaduras foram preenchidas com aço e cimento. Aqueles que praticam a jardinagem também devem estar cientes de que montes de compostos atraem ratos, diz ela.

Os moradores de Londres também estão se acostumando a ver seus novos vizinhos, e estão cada vez mais espantados com a ousadia deles.

“Eu vi um vir até mim enquanto eu caminhava”, disse Jen Johnson, que mora no distrito oriental de Tower Hamlets.

“Eu vi outro subir em um prédio de apartamentos e gritei. Moro em Londres há quatro anos e nunca vi nada parecido”, diz ela. "Eles estão aparecendo em lugares que eu costumava pensar que eram belas paisagens."

As autoridades de Tower Hamlets, que oferece aos seus residentes alguma ajuda gratuita com pragas, disse à CNN que "curiosamente, nossa equipe de controle de pragas recebeu menos chamadas durante a pandemia." No entanto, um porta-voz do distrito não forneceu dados que confirmassem isso, e disse que não mantém números sobre o número de ratos mortos.

A cidade de Westminster e os distritos de Harrow, Waltham Forest e Redbridge, que ficam próximos à floresta de Epping, não responderam até o momento da publicação.

Oscar Featherstone, da CNN, contribuiu para esta reportagem.

Texto traduzido da CNN. Leia o original em inglês.