Depois de um ano de restrições, União Europeia propõe reabertura de fronteiras

Essa é uma tentativa de impulsionar a indústria do turismo durante o verão europeu

Zeinab Bazzi*, da CNN, em São Paulo
03 de maio de 2021 às 18:17 | Atualizado 03 de maio de 2021 às 21:39

 A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, recomendou a flexibilização das restrições de viagem – de forma que permita a entrada de estrangeiros nos países do bloco. Essa é uma tentativa de impulsionar a indústria do turismo durante o verão europeu.

Não são todos os turistas que teriam aval para entrar nos países: segundo o órgão, os cidadãos precisariam ter vindo de países com uma “boa situação epidemiológica” ou estarem totalmente vacinados com algum dos imunizantes autorizados pelo bloco – entretanto, no comunicado, a Comissão disse que outras vacinas poderiam ser adicionadas se aprovadas pela OMS.

Até o momento, a Agência Europeia de Medicamentos liberou o uso das vacinas da Pfizer, Moderna, Johnson & Johnson e Astrazeneca – que também é aplicada no Brasil. A Organização Mundial da Saúde também aprovou os mesmos imunizantes e deve decidir sobre o uso de duas vacinas chinesas nesta semana – incluindo a Coronavac. Ambas as agências estão considerando a vacina russa Sputnik V.

Para a medida entrar em vigor é preciso que os 27 Estados-membros do bloco aprovem, a votação deve acontecer ainda neste mês.

A medida visa reativar a economia: boa parte dos países do sul da Europa, como Espanha, Portugal e Itália dependem do turismo. A Grécia, por exemplo, já concordou em receber vacinados de Israel. 

Pelo Twitter, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que é “hora de reviver a indústria do turismo e reacender as amizades transfronteiriças com segurança”.

Outra medida que visa impulsionar o turismo é a criação de um registro central do bloco que permitiria viagens gratuitas para moradores que portem o “certificado verde”, ou seja, um documento que prove a imunização contra Covid-19 (seja pela vacina, seja pela imunidade pós recuperação).

A Comissão disse que a reciprocidade deve ser considerada ao decidir permitir viagens de lazer de países terceiros.

Para limitar o risco de importação de novas variantes da Covid-19, a Comissão também propôs um novo "freio de emergência" que permitiria a rápida introdução de restrições de viagem em países onde a situação de saúde se deteriora acentuadamente.

Os países da UE revisariam a situação a cada duas semanas. As fronteiras externas da União Europeia estão fechadas desde março de 2020. 

*Com informações da Reuters e sob supervisão de Asdrúbal Figueiró

Casal de máscara em frente a ponto turístico em Roma
A Itália teve um curto renascimento no turismo doméstico este ano, mas não o suficiente para conter a queda no número de viajantes estrangeiros.
Foto: Manuel Silvestri/Reuters