Cinco erros que podem ser evitados após se vacinar contra a Covid-19

Parar de usar máscara e de tomar outros cuidados para se previr contra a doença estão entre os principais enganos apontados pelos especialistas. Saiba mais:

*Angela Reyes , da CNN
03 de maio de 2021 às 15:12 | Atualizado 03 de maio de 2021 às 16:53
Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro
Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro
Foto: Pilar Olivares/Reuters (7.abr.2021)

Se você faz parte dos grupos de pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19, atenção: ainda há cuidados a serem tomados para diminuir a proliferação do vírus. Especialistas elencaram cinco erros comuns para você prestar atenção:

 1 - Pensar que está 'totalmente vacinado' após a segunda dose

Você provavelmente já ouviu algum familiar ou amigo dizer “já estou vacinado”, após receber a segunda dose de vacinas que requerem duas doses, como a da AstraZeneca e Coronavac. No entanto, a pessoa não é considerada "totalmente vacinada" até duas semanas após completar o esquema de vacinação.

Conforme explicado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), "geralmente o corpo leva duas semanas após a vacinação para construir alguma proteção (imunidade) contra o vírus”. Se você está se preparando para retomar algumas atividades, tenha estes prazos em mente.

2 – Pensar que você nunca mais irá contrair o vírus 

"Algumas pessoas que estão totalmente vacinas contra a Covid-19 ainda podem ficar doentes", explica o CDC. Mas por que a vacina é importante, então? Em caso de contrair o vírus, o imunizante pode ajudar a não adoecer gravemente, explica a instituição.

3 - Não se isolar se tiver sintomas 

Você está "totalmente vacinado" (ou seja, o tempo apropriado já passou), mas começa a sentir os sintomas de Covid-19. Há alguns meses, você teria suspendido qualquer atividade para se isolar, mas agora (após tomar as duas doses) acredita ser “ok” prosseguir com as atividades. Erro.

O CDC diz que qualquer indivíduo vacinado com sintomas deve "ser isolado e avaliado clinicamente" - especialmente se você foi exposto a uma pessoa com covid-19 ou com suspeita de estar infectada.

Se você estava com alguém que contraiu o novo coronavírus, mas não apresenta sintomas, não precisa se isolar ou fazer um teste. Só há uma exceção: se você mora em um "ambiente de grupo", por exemplo, "uma casa coletiva", você precisa fazer o teste, mesmo se não apresentar sintomas.

4 – Sair de casa sem a máscara 

Você provavelmente está começando a desfrutar de algumas atividades na flexibilização, como comer em um restaurante com amigos ou participar de uma pequena reunião ao ar livre.

No entanto, não é recomendado sair de casa sem a máscara, pois você ainda deve usá-la em atividades em locais públicos. Isso inclui ir ao parque, ao barbeiro ou cabeleireiro, ao shopping, ao cinema, comer em um restaurante fechado, entre outros. Além disso, você deve usar uma máscara para usar o transporte público.

E as reuniões internas? Você também precisa de máscara no caso de sair com pessoas que não foram vacinadas, incluindo crianças, e principalmente quando encontra com alguma “pessoa que não foi vacinada e tem maior risco de adoecer gravemente de covid-19 ou mora com pessoa em risco”.

5 - Parar de lavar as mãos com frequência 

Podemos ter vergonha de admitir, mas muitos de nós têm sido negligentes quando se trata de lavar as mãos. E não é uma percepção: um novo estudo feito em um hospital de Chicago descobriu que o nível de lavagem das mãos caiu para os níveis pré-pandêmicos.

Somado a estes dados, uma pesquisa de janeiro mostrou que 57% dos entrevistados afirmaram lavar as mãos seis ou mais vezes por dia, em comparação com os 78% que disseram que lavavam as mãos com a mesma frequência quando a mesma pesquisa foi realizada nos primeiros dias da pandemia.

Estar totalmente vacinado não é desculpa para não lavar as mãos com frequência quando estiver em ambientes fechados. O CDC explica que "em espaços públicos fechados, é improvável que possamos saber se outras pessoas foram vacinadas ou se correm maior risco de adoecer gravemente por causa da COVID-19". Por isso, continue lavando as mãos, além de usar a máscara e se cobrir na hora de tossir.

*com informações de Sandee LaMotte e Jen Christensen

(Texto traduzido, leia o original, em espanhol)