Jovens britânicos apoiam cada vez menos a monarquia, diz pesquisa

Segundo os dados, 41% das britânicos de 18 a 24 anos apoiam a existência de um chefe de estado eleito

Reuters
21 de maio de 2021 às 11:58
Coronavírus, quarentena, Inglaterra, Buckingham
Palácio de Buckingham em Londres, 26 de abril de 2020.
Foto: Henry Nicholls/Reuters

Os jovens da Grã-Bretanha não acham mais que o país deve manter a monarquia e querem um chefe de estado eleito, revelou uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (21).

De acordo com a pesquisa do YouGov, 41% das pessoas de 18 a 24 anos acham que deveria haver um chefe de estado eleito, em comparação com 31% que ainda querem um rei ou rainha.

A pesquisa mostra um revés no sentimento de dois anos atrás – quando 46% preferiam a monarquia e 26% que queriam substituí-la.

No entanto, no geral, a pesquisa trouxe boas notícias para a rainha Elizabeth II, de 95 anos, e para a família real, com 61% dos britânicos favoráveis à monarquia, enquanto pouco menos de um quarto acha que ela deveria ser substituída por uma figura eleita.

Os últimos meses foram difíceis para os Windsors com a morte do marido da rainha, o príncipe Philip, de 99 anos, em abril, e a crise que se seguiu após a entrevista do neto de Elizabeth II, o príncipe Harry e sua esposa Meghan Markle, com a apresentadora Oprah Winfrey.

Pesquisas anteriores indicaram uma diferença de idade, com as gerações mais jovens tendo visões mais favoráveis ??de Harry e Meghan do que as mais velhas, que tinham sentimentos excessivamente negativos sobre eles.

Embora não haja possibilidade de um fim à monarquia enquanto a rainha permanecer no trono, há preocupação da realeza com o declínio do apoio entre os britânicos mais jovens.

A pesquisa com 4.870 adultos revelou que 53% das pessoas com idade entre 25-49 apoiam a manutenção da monarquia, uma queda de cinco pontos percentuais em relação a uma pesquisa semelhante feita em 2019, enquanto o apoio a um chefe eleito aumentou 4 pontos.

Entre os maiores de 65 anos, 81% apoiam a monarquia, quase inalterada em relação a dois anos atrás.