Joe Biden e Kamala Harris recebem família de George Floyd na Casa Branca

Encontro acontece um ano após George Floyd ser morto em uma abordagem policial em Minneapolis

Kate Sullivan, da CNN
25 de maio de 2021 às 20:14

O presidente Joe Biden e a vice-presidente Kamala Harris se encontraram nesta terça-feira (25) com a família de George Floyd, exatamente um ano depois que ele foi morto por um policial de Minneapolis, crime que gerou protestos em todo o país contra o racismo e a brutalidade policial.

O irmão de George Floyd, Philonise Floyd, disse a repórteres que a família teve uma "ótima" reunião com o presidente e a vice-presidente e afirmou: "Ele é um cara genuíno. Eles sempre falam com o coração". 

"Estamos gratos pelo que está acontecendo e só queremos que o Ato de Policiamento George Floyd seja aprovado", disse Philonese Floyd a repórteres na Casa Branca.

Ele acrescentou: "Se você pode fazer leis federais para proteger uma águia, você pode fazer leis federais para proteger as pessoas de cor".

O encontro aconteceu no momento em que a Lei de Justiça no Policiamento de George Floyd - legislação que estabeleceria um registro nacional de má conduta policial, baniria o perfil racial e religioso pelas autoridades policiais e revisaria a imunidade qualificada para policiais - continua paralisada no Senado. Biden havia estabelecido uma meta inicial de ter a legislação aprovada até esta terça-feira, mas a Casa Branca recuou esse prazo para permitir que as negociações continuassem no Congresso.

Rodney Floyd, outro irmão de George, disse aos repórteres que a família está grata por Biden e Harris terem mostrado "grande preocupação" por sua família no aniversário da morte de seu irmão. Ele disse que o presidente e a vice perguntaram a eles como estavam e como estavam cuidando de si mesmos.

O sobrinho de Floyd, Brandon Williams, afirmou que Biden disse à família que deseja que a Lei de Justiça no Policiamento de George Floyd seja aprovada, mas quer ter certeza de que é a legislação certa.

"Ele nos informou que apoia a aprovação do projeto, mas quer ter certeza de que é o projeto certo e não apressado", disse Williams, acrescentando que o presidente disse que não estava feliz com o fato de legislação não estar aprovada no prazo inicial que ele havia estabelecido.

Presidente dos Estados Unidos se reúne com a família de George Floyd na Casa Branca
Foto: Al Sharpton/Twitter

Um dos advogados da família Floyd, Chris Stewart, disse que Biden brincou com Gianna Floyd - filha de George Floyd - durante a reunião e que "ela se divertiu muito".

Biden afirmou, após sua reunião com a família de Floyd, que eles "demonstraram coragem extraordinária no ano passado", especialmente sua filha Gianna. "Um dia antes do funeral de seu pai, há um ano, eu e Jill a conhecemos e ela me disse: 'Papai mudou o mundo'. Ele mudou mesmo".

O presidente disse que esperava que o Senado aprovasse a Lei de Justiça no Policiamento de George Floyd e "colocasse um projeto de lei na minha mesa rapidamente".

"Precisamos agir. Enfrentamos um ponto de inflexão. A batalha pela alma da América tem sido um constante 'empurra e puxa' entre o ideal americano de que todos somos criados iguais e a dura realidade de que o racismo há muito tempo nos separa". afirmou Biden.

Kamala Harris disse que a família continua "a mostrar coragem, graça e resiliência" após a morte de Floyd.

"O Sr. Floyd deveria estar vivo hoje", disse Harris. Ela pediu que o Congresso aja com um senso de urgência e aprove uma legislação que "não traria de volta as vidas perdidas, mas representará um progresso muito necessário".

Além de se reunir com o presidente, a família Floyd se reunirá com os principais negociadores do projeto de reforma da polícia no Senado, o senador democrata de Nova Jersey Cory Booker e o senador republicano da Carolina do Sul Tim Scott.

Homenagens no local onde Floyd foi morto
Foto: Matthew Hatcher/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Eles também se reunirão com a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e outros legisladores no Capitólio dos EUA, incluindo a deputada democrata da Califórnia Karen Bass, que liderou a acusação de aprovação do projeto de reforma da polícia na Câmara dos Representantes.

Biden queria que seu encontro com a família de Floyd fosse privado, de acordo com a secretária de imprensa da Casa Branca Jen Psaki, "para ter uma conversa real e preservá-la com a família".

"Ele tem um relacionamento genuíno com eles", disse Psaki a repórteres na segunda-feira durante uma reunião na Casa Branca. "E a coragem e a graça desta família - e especialmente de sua filha, Gianna - realmente ficaram com o presidente. Ele está ansioso para ouvir suas perspectivas e ouvir o que eles têm a dizer durante a reunião".

Participram da reunião com o presidente a mãe de Gianna, Roxie Washington; a irmã de Floyd, Bridgett Floyd; a esposa de Philonise Floyd, Keeta Floyd; o irmão de Floyd, Rodney Floyd; o irmão de Floyd, Terrence Floyd; e o sobrinho de Floyd, Brandon Williams. 

Philonise Floyd disse no "New Day" da CNN, na manhã de terça-feira que, desde a morte de seu irmão as coisas mudaram. "Acho que está se movendo lentamente, mas está progredindo".

Ele disse que o projeto de reforma da polícia seria "uma das melhores coisas que poderia se aprovar em toda a América. As pessoas não deveriam ter que viver com medo". 

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse que Biden queria dar aos negociadores o espaço para fazerem seu trabalho, e que ele tem conversado com defensores da reforma da polícia durante essas negociações. Ela não informou um novo prazo para quando o presidente espera assinar o projeto de reforma da polícia em lei, mas disse que Biden quer sancionar o projeto "o mais rápido possível".

Manifestante segura cartaz com rosto de George Floyd durante protesto em Nova York
Foto: Caitlin Ochs/Reuters (3.jun.2020)

Relação com a família Floyd

Biden mantém um relacionamento com a família Floyd e se encontrou com eles em junho de 2020, quando ele viajou para Houston para oferecer condolências antes do funeral de George Floyd. O presidente falou com membros da família em algumas ocasiões no ano passado, inclusive no mês passado, após o veredicto no julgamento de Derek Chauvin, o ex-policial de Minneapolis.

Chauvin foi condenado por homicídio não intencional em segundo grau, homicídio em terceiro grau e homicídio em segundo grau.

A família de Floyd anunciou que está usando $500.000 de seu acordo de $27 milhões com a cidade de Minneapolis para criar o Fundo de Benevolência da Comunidade George Floyd. O fundo oferecerá subsídios a organizações e empresas que atendem à comunidade da rua 38 com a rua Chicago, em Minneapolis. O cruzamento é onde Floyd morreu.