Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após destruir ilhas, incêndios florestais se espalham pela Grécia continental

    Governo realizou a evacuação em várias comunidades na região central do país; nas últimas 24 horas foram registradas 61 ocorrências de fogo em diferentes regiões 

    Da Reuters

    Atenas

    As autoridades ordenaram a evacuação em comunidades no centro da Grécia nesta quarta-feira (26), enquanto lutavam contra novas frentes de incêndio no país, sobrecarregadas por fortes ventos e ondas de calor superiores a 40 graus Celsius.

    Sessenta e um incêndios florestais ocorreram na Grécia apenas nas últimas 24 horas, disse o corpo de bombeiros, com os piores focos perto da cidade central de Velestino, onde as autoridades ordenaram a evacuação preventiva de seis comunidades próximas.

    Dezenas de bombeiros combateram as chamas, auxiliados por 15 carros de bombeiros e quatro aeronaves.

    Um outro incêndio florestal ocorreu perto de outra cidade central, Lamia, onde moradores de vários assentamentos também foram instruídos a deixar suas casas.

    Os incêndios haviam diminuído em grande parte na ilha grega de Rodes, onde mais de 20 mil visitantes estrangeiros e locais fugiram de hotéis e casas à beira-mar no fim de semana. Os bombeiros ainda tentavam apagar uma parede de chamas perto de uma área montanhosa no sul de Rodes, que ardia sem controle há mais de uma semana.

    “A batalha contra os incêndios devastadores continua em várias frentes hoje por todas as forças de Proteção Civil em condições extremas”, disse o porta-voz do corpo de bombeiros Ioannis Artopios em um briefing. “Hoje é o dia mais difícil deste verão.”

    Artopios disse que o risco de incêndio permanece “extremo” em várias áreas da Grécia na quinta-feira.

    O ministro da Crise Climática e Proteção Civil, Vassilis Kikilias, disse que a Grécia está passando por “dias de verão muito perigosos”. Os incêndios, disse ele, foram atiçados por ventos fortes e agravados por temperaturas anormalmente altas, acendendo frentes que se estendem por vários quilômetros (milhas).

    “Dada a crise climática, voltaremos a ter condições climatéricas extremas que vão voltar a pôr à prova as nossas forças. Nada acabou, a batalha vai continuar durante todo o verão”, disse.

    Contendo danos ao turismo

    Na quarta-feira, o governo procurou conter os danos à reputação de uma de suas fontes de receita cruciais, o turismo.

    A Grécia depende fortemente do comércio turístico do mar e do sol e Rodes, uma das maiores ilhas do mar Egeu, está entre seus principais destinos, atraindo cerca de 1,5 milhão de visitantes estrangeiros nos meses de verão.

    Cerca de 3 mil turistas deixaram Rhodes para voltar para casa de avião na terça-feira, enquanto os operadores turísticos cancelaram as próximas viagens. A TUI cancelou os voos para Rodes até sexta-feira.

    A ministra do Turismo, Olga Kefalogianni, enfatizou que os incêndios florestais afetaram apenas uma pequena parte da ilha.

    “Entramos em contato com a Câmara dos Hoteleiros e queremos ver como podemos trazer de volta as pessoas com vales-férias”, disse à televisão aberta.

    Os bombeiros também estavam combatendo um incêndio na ilha de Evia, onde dois pilotos morreram na terça-feira quando seu avião Canadair CL-215 caiu em uma encosta enquanto jogava água nas chamas.

    O corpo queimado de um criador de gado de 41 anos, desaparecido desde domingo, foi encontrado em um barraco em uma área remota da ilha.

    Os incêndios florestais na Grécia são comuns no verão, mas as condições mais quentes, secas e ventosas, resultado de uma mudança climática, transformaram o país em um hotspot mediterrâneo nos últimos anos.

    Na quarta-feira, o governo fechou a antiga Acrópole de Atenas, um dos pontos turísticos mais visitados do mundo, às 11h por causa do calor escaldante.

    “Estou fazendo um apelo para que nenhum trabalhador saia às ruas hoje. Será o dia mais quente do verão”, postou o ministro do Trabalho, Adonis Georgiadis, na plataforma de mensagens X, anteriormente conhecida como Twitter.

    Artopios, porta-voz do corpo de bombeiros, disse que combater os incêndios é um fardo financeiro significativo para a Grécia, com os esforços de combate a incêndios somente em Rodes custando cerca de 7,5 milhões de euros (R$ 39,3 milhões) até agora.

    Os incêndios florestais na Grécia liberaram um recorde de 1 megaton de emissões de carbono entre 1º e 25 de julho, informou o Serviço de Monitoramento da Atmosfera Copernicus (CAMS) da União Europeia.

    Isso foi quase o dobro do recorde anterior de julho de 2007, com as nuvens de fumaça prejudicando a qualidade do ar nas regiões a favor do vento.

    (Reportagem de Angeliki Koutantou e Karolina Tagaris em Atenas, Fedja Grulovic em Rhodes, Kate Abnett em Bruxelas)