Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Argentinos votam em primárias para definir candidatos à Presidência

    Expectativa é que cerca de 35 milhões de argentinos votem até às 18h; pré-candidatos que serão escolhidos hoje irão concorrer à Presidência da Argentina no dia 22 de outubro

    Argentinos votam em primárias para definir candidatos à Presidência
    Argentinos votam em primárias para definir candidatos à Presidência Reprodução/Reuters

    Gabriel FernedaGermán Padingerda CNN

    Os argentinos votam nas eleições primárias que ocorrem neste domingo (13), definindo quem disputará a vaga do presidente Alberto Fernández, que não concorre à reeleição.

    Em clima tranquilo, os candidatos Sergio Massa, Horacio Rodríguez Larret, Juan Grabois e Patricia Bullrich, além do atual presidente Fernández já votaram. A expectativa é que cerca de 35 milhões de argentinos votem até às 18h (horário de Brasília).

    Poderão seguir na corrida as agremiações políticas que obtiverem pelo menos 1,5% dos votos válidos no distrito (no caso de deputados federais e senadores) ou em todo território nacional (para presidente e vice-presidente).

    No caso da eleição para presidente, os grupos políticos podem lançar mais de um pré-candidato, mas apenas o mais votado vai para as eleições gerais.

    Os pré-candidatos que serão escolhidos hoje serão, de fato, os candidatos que concorrerão à Presidência da Argentina no dia 22 de outubro.

    Os postulantes precisariam de 45% para vencer a eleição geral já no primeiro turno, ou 40% com uma vantagem de 10 pontos sobre o segundo colocado. Se nenhum partido conseguir isso, haverá um segundo turno no dia 19 de novembro.

    As eleições deste domingo se dão em meio a (mais uma) das maiores crises econômicas do país.

    No final de julho, a Argentina chegou a um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) para desbloquear US$ 7,5 bilhões (R$ 35 bilhões) e concluir a quinta e a sexta revisões do programa de empréstimos de US$ 44 bilhões (R$ 208 bilhões) do país.

    Veja também – Desinteresse de argentinos mostra democracia enfraquecendo, diz analista

    O acordo, que ainda precisa da aprovação do Conselho Executivo do FMI, facilita alguns requisitos do programa porque uma seca devastadora criou um ambiente econômico “muito desafiador” na Argentina, fazendo com que algumas metas financeiras do final de junho não fossem cumpridas.

    Principais pré-candidatos

    No momento, quatro nomes estão entre os mais cotados para chegar à presidência da Argentina.

    Ministro da Economia da Argentina, Sergio Massa, é o candidato governista / 19/07/2023. REUTERS/Agustin Marcarian

    Um deles é o atual ministro da Economia, Sergio Massa, da coligação União pela Pátria. O equilíbrio fiscal, o superávit comercial, o câmbio competitivo e o desenvolvimento com inclusão são seus eixos principais. Conheça suas principais propostas.

    Horacio Rodríguez Larreta, prefeito de Buenos Aires, é um dos concorrentes da coligação Juntos pela Mudança / prefeito de Buenos Aires, Horacio Rodríguez Larreta 11/08/2019 REUTERS/Luisa Gonzalez

    Outros dois integram a corrente Juntos pela Mudança: a ex-ministra de Segurança, Patricia Bullrich, e o atual prefeito de Buenos Aires, Horacio Larreta. Ambos se enfrentam nas urnas neste domingo para saber quem será o indicado da frente para concorrer contra Massa e outros candidatos.

    No seu plano de governo, Rodríguez Larreta foca na abertura de novos mercados para exportar e recuperar o acesso ao crédito, assim como a ideia de simplificação tributária para a criação de trabalho em pequenas e médias empresas. Saiba mais sobre suas propostas.

    Patricia Bullrich
    Patricia Bullrich, ex-ministra de Macri, concorre contra Larreta pela indicação do Juntos pela Mudança / Gustavo Muñoz/Getty Images

    Com base no conceito de “ordem”, Bullrich promete eliminar no menor tempo possível a taxa de câmbio, que impede a livre compra e venda de dólares, e estabelecer uma cotação. Confira as propostas da candidata.

    Pré-candidato presidencial da Argentina Javier Milei é de extrema-direita / 24/07/2023 REUTERS/Matias Baglietto

    O quarto candidato entre os favoritos é o economista Javier Milei, de extrema-direita, que está à frente da chapa A Liberdade Avança.

    Com um discurso inflamado e carregado de polêmicas, ele chama a atenção por propostas como a extinção do Banco Central e a dolarização da economia.

    Candidatos / CNN

    Confira imagens oficiais do candidatos que serão utilizadas nas eleições