Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ativistas climáticos se livram de prisão após tacarem sopa de tomate contra pintura histórica

    Tela de Johannes Vermeer, conhecida como "Menina com um brinco de pérola", foi alvo de manifestantes em museu na Holanda

    Jornalista tira uma foto do quadro 'Garota com brinco de pérola' de Johannes Vermeer na Sala Vermeer do Museu Mauritshuis em 20 de junho de 2014 em Haia, Holanda
    Jornalista tira uma foto do quadro 'Garota com brinco de pérola' de Johannes Vermeer na Sala Vermeer do Museu Mauritshuis em 20 de junho de 2014 em Haia, Holanda Michel Porro/Getty Images

    Catherine Nichollsda CNN

    Três ativistas climáticos belgas que foram anteriormente condenados à prisão por um protesto contra a pintura de Johannes Vermeer “Menina com um brinco de pérola” não vão enfrentar mais nenhuma punição por suas ações. A decisão desta segunda-feira (11) é de um tribunal holandês.

    Os manifestantes, que fazem parte do grupo Just Stop Oil Belgium, foram originalmente condenados a dois meses de prisão pelos atos, que ocorreram em outubro de 2022 no museu Mauritshuis em Haia, na Holanda.

    Um homem colou a própria cabeça no vidro que protege a famosa pintura, enquanto outro manifestante jogou sopa de tomate sobre a obra de arte. Um terceiro homem filmou a demonstração.

    O museu disse após o incidente que a obra-prima do século XVII estava “intacta”, e foi devolvida ao público no dia seguinte. O Ministério Público da Holanda acrescentou que o quadro do século XIX, no entanto, foi danificado no protesto.

    Os homens foram condenados por causar destruição e danos à pintura, bem como violência pública, disse à CNN um porta-voz do Tribunal de Recurso de Haia, acrescentando que os manifestantes passaram 23 dias presos antes do julgamento.

    Dado o tempo que os manifestantes passaram detidos preventivamente, o tribunal disse que uma sentença teria sido excessiva.

    O porta-voz do tribunal disse à CNN que também não quer desencorajar outros que desejam protestar pacificamente ou exercer seu direito à liberdade de expressão. Punir severamente esses ativistas pode ter um “efeito assustador” sobre os outros, disse o tribunal em um comunicado à imprensa.

    A CNN entrou em contato com o museu Mauritshuis para comentar.

    A Just Stop Oil Belgium não é afiliada ao seu homônimo britânico, o grupo ambientalista Just Stop Oil. A CNN não conseguiu entrar em contato diretamente com a organização belga, mas entrou em contato com a Extinction Rebellion Belgium para comentar, já que emitiu declarações em nome da Just Stop Oil Belgium.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original