Barbados realizará primeira eleição desde que se tornou república

Sandra Mason é atual chefe de Estado do país caribenho; rainha Elizabeth II perdeu o título de soberana no ano passado

Barbados removeu o título de soberana da Rainha Elizabeth II e tornou-se república no ano passado
Barbados removeu o título de soberana da Rainha Elizabeth II e tornou-se república no ano passado Pixabay

Brian Ellsworthda Reuters

Ouvir notícia

Barbados realizará nesta quarta-feira (19) eleições gerais convocadas pela primeira-ministra Mia Mottley — a primeira votação do país caribenho desde que se tornou uma república no ano passado, removendo a rainha britânica como soberana.

Mottley, cujo Partido Trabalhista de Barbados agora controla 29 das 30 cadeiras da legislatura, disse em dezembro que a votação ajudaria a promover a unidade diante da pandemia de coronavírus, que atingiu fortemente a economia focada no turismo do país.

Barbados em novembro removeu a rainha Elizabeth como chefe de Estado e a substituiu pela presidente Sandra Mason em uma cerimônia que coincidiu com o dia da independência que incluiu a presença do príncipe Charles da Grã-Bretanha.

Mottley, em um discurso de campanha na comunidade de Pie Corner, no extremo nordeste da ilha, na segunda-feira, fez pouca menção à pandemia, concentrando-se em obras públicas realizadas sob seu partido e repreendendo a falta de liderança dos rivais.

Verla De Peiza, do opositor Partido Democrático Trabalhista, chamou a eleição de antecipada — convocada um ano e meio antes da lei exigir — e “alarmante para nossa democracia” e levantou questões sobre os riscos à saúde pública do voto e as limitações ao sufrágio dos infectados com Covid-19.

Cerca de 5.000 pessoas de uma população de pouco menos de 300.000 estavam isoladas após serem infectadas pelo coronavírus, segundo dados oficiais.

Na segunda-feira, Mottley disse que a oposição entrou com uma liminar para impedir a eleição.

O processo alega que a exclusão de pessoas em quarentena devido ao coronavírus é uma violação do direito de voto, segundo relatos da mídia local.

Mais Recentes da CNN