Bélgica tem protesto após governo anunciar novas medidas contra a Covid-19

Casos da doença no país estão no pico neste momento, mas manifestantes são contra necessidade de tomar doses de reforço

Governo passou a exigir reforço da vacina para obtenção de passe de imunização
Governo passou a exigir reforço da vacina para obtenção de passe de imunização Reuters/Reprodução

Reuters

Ouvir notícia

Milhares de pessoas marcharam em Bruxelas, capital da Bélgica, neste domingo (23) para protestar contra as restrições para combater a Covid-19 que foram anunciadas pelo governo federal.

O primeiro-ministro Alexandre De Croo anunciou na sexta-feira (21) que as pessoas precisarão de doses de reforço após cinco meses de imunização para manter seus passes de vacinação, que dão acesso a bares ou cinemas.

Esse limite de cinco meses está entre os mais apertados da Europa. Para a vizinha França são sete meses, enquanto o guia europeu para viagens dentro do bloco é fixado em nove.

De Croo disse que a partir de 1º de março a série inicial de vacinação será válida apenas por cinco meses, com reforços necessários para manter os passaportes de vacinação ativos, embora ainda sejam válidos com um teste ou recuperação recente de infecção pelo coronavirus.

A manifestante Anneleen De Klerck, que trabalha como cuidadora de idosos, disse que o passe lhes dá uma falsa sensação de segurança e os coloca em perigo.

“Eu trabalho com idosos e eles dizem ‘oh, eu vou a esse evento porque é seguro porque há um passaporte para Covid-19’. E então eles ficam doentes, na próxima semana eles estão doentes, de Covid-19”, disse ela.

Já Caroline Van Landuyt afirmou estar zangada com o governo, acusando as autoridades de chantagear os jovens com a vacina.

“Fiquei com muita raiva que meus filhos tiveram que tomar a vacina… Eles querem viajar, querem fazer competições esportivas, e não podem fazer sem vacina mas não queriam se vacinar, é só chantagem”, disse.

As medidas da Bélgica anunciadas na sexta-feira foram introduzidas com uma leve flexibilização de suas restrições contra o coronavírus, apesar de infecções recordes.

O primeiro-ministro belga disse que as medidas se justificam em relação à alta taxa de vacinação no país, com 89% dos adultos totalmente vacinados e 67% tendo recebido uma dose de reforço.

As infecções por Covid-19 na Bélgica estão no pico neste momento, com 40.929 novas infecções relatadas a cada dia. Houve 2.697.239 infecções e 28.780 mortes relacionadas ao coronavírus relatadas no país desde o início da pandemia.

Mais Recentes da CNN