China irá “controlar” projetos de alta emissão, mas não firma compromissos com clima

As informações são de uma carta enviada pelo presidente chinês, Xi Jinping, à COP26. O presidente da China não compareceu pessoalmente ao evento

Presidente da China, Xi Jinping, em Pequim
Presidente da China, Xi Jinping, em Pequim Reuters

Amy CassidyAngela Dewanda CNN

Ouvir notícia

O presidente chinês, Xi Jinping, que não compareceu pessoalmente à COP26, disse em um discurso por escrito para cúpula que o país “controlará o desenvolvimento irracional de projetos com alto consumo de energia e alta emissão”, mas não conseguiu firmar compromissos climáticos.

De acordo com uma tradução publicada pela agência de notícias estatal Xinhua, Xi Jinping disse: “Promoveremos um sistema econômico verde, de baixo carbono e circular em um ritmo mais rápido, prosseguiremos com o ajuste da estrutura industrial e controlaremos o desenvolvimento irracional de projetos de uso intenso de energia e de alta emissão”.

A China – atualmente o maior emissor de carbono do mundo – vai “lançar planos de implementação específicos para áreas-chave”, como energia, transporte industrial, carvão, eletricidade, ferro e aço e cimento, de acordo com a Xinhua, “bem como medidas de apoio em termos de ciência e tecnologia, sumidouro de carbono, incentivos fiscais e tributários e financeiros”.

A China anunciou na semana passada que planeja reduzir sua dependência de combustíveis fósseis para menos de 20% até 2060. Também disse que suas emissões de carbono atingirão o pico antes de 2030.

Em setembro, Xi Jinping prometeu que a China não construiria nenhum novo projeto de energia movida a carvão no exterior. No entanto, no mês seguinte, ele ordenou que seu país “produzisse tanto carvão quanto possível” em meio a uma crise energética em curso.

Este é um texto traduzido. Para ler o original em inglês, clique aqui.

Mais Recentes da CNN