Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    COP27

    China quer meta de aquecimento de 1,5°C a 2°C no acordo climático da COP27

    Zhenhua afirmou que Pequim gostaria de um acordo que contenha linguagem semelhante ao acordo feito no ano passado, em Glasgow, na Escócia, na COP26

    Richard ValdmanisJake Springda Reuters

    O enviado sobre Clima da China para a COP27, Xie Zhenhua, disse, nesta segunda-feira (14), que Pequim gostaria que o acordo climático da Cúpula do Clima da ONU estabeleça uma meta para limitar o aquecimento global a 2ºC, e acrescenta que os países devem tentar 1,5°C – compromisso semelhante à linguagem acordada no Acordo de Paris, em 2015.

    Zhenhua afirmou que Pequim gostaria de um acordo que contenha linguagem semelhante ao acordo feito no ano passado, em Glasgow, na Escócia, na COP26, sobre metas para limitar o aquecimento global, e não se opôs à meta de 1,5ºC.

    “O acordo de Glasgow do ano passado já diz claramente. Devemos seguir o Acordo de Paris e Glasgow”, disse Xie.

    O enviado especial dos EUA, John Kerry, disse na semana passada que alguns países na COP resistiram a mencionar a meta de 1,5°C no texto oficial da COP27, mas não especificou nomes

    A China é o maior emissor de gases de efeito estufa do mundo.

    Os países da COP26 na Escócia reafirmaram a ambição estabelecida no Acordo de Paris de 2015 de interromper o aquecimento em menos de 2°C acima dos tempos pré-industriais, bem como seu objetivo de 1,5°C como um resultado melhor.

    O texto final do pacto de Glasgow também deu um passo adiante para elaborar os benefícios de interromper o aquecimento em 1,5°C, e os anfitriões do Reino Unido divulgaram o acordo como um que manteria a meta de 1,5°C viva.

    Os cientistas dizem que cruzar o limite de 1,5°C pode trazer os piores efeitos da mudança climática, e que o mundo passará por ele sem cortes mais ambiciosos nas emissões.